Carção: “Cachico – Mercado Rural” pretende valorizar a vida agrícola

O “Cachico – Mercado Rural” vai voltar a animar a localidade de Carção, no fim-de-semana de 18, 19 e 20 de novembro, com a comercialização dos produtos caraterísticos da localidade como são a castanha, o pão de abóbora, a aguardente, as ervas aromáticas entre outros produtos agrícolas.

Na localidade de Carção vivem atualmente 350 pessoas, que continuam a dedicar-se à pequena agricultura familiar. Segundo Daniel Ramos, presidente da freguesia de Carção, como tantos outros eventos, o “Cachico – Mercado Rural” surgiu com o propósito de dinamizar a economia local da aldeia e ajudar os pequenos agricultores a comercializar o excedente dos seus produtos.

“Em Carção, este mercado rural tem como produtos mais caraterísticos o mel, a castanha, a noz, o azeite, a abóbora e o pão de abóbora, a aguardente, o vinho e os licores”, indicou.

A aguardente é um dos produtos em destaque no certame e vai ter mesmo um concurso, com os propósitos de incentivar os produtores locais a participar e a preservar esta tradição. Recorde-se que antigamente, Carção foi conhecida pela destilaria de vinho, onde existiram duas fábricas.

“Porque estamos na época do São Martinho e dos magustos, o concurso consiste na degustação de várias aguardentes, com os objetivos de selecionar os melhores produtos e valorizar o fabrico artesanal”, justificou.

Outra novidade na edição deste ano do “Cachico – Mercado Rural”, é o passeio de reconhecimento das ervas aromáticas e comestíveis, que nascem naturalmente no termo de Carção. A formação vai estar a cargo da engenheira agrónoma, Natalina Pires.

No sábado, dia 19 de novembro, o certame vai iniciar-se bem cedo, às 8h30, da manhã, com a concentração dos caçadores para a montaria ao javali. Também a caça teve grande importância na aldeia, onde existiam perdizes, lebres e coelhos, que habitavam as serranias com grandes matas e arvoredos.

“A montaria ao javali tem como limite máximo 120 portas. Cerca de 50% dos caçadores são do concelho de Vimioso e os outros 50% são caçadores vindos da zona norte do país, principalmente da zona do grande Porto”, informou.

Segundo o presidente da freguesia de Carção, Daniel Ramos, os caçadores são também um público que aprecia os produtos locais, como o fumeiro, o azeite, a castanha e alguns produtos hortícolas, como é o caso das cebolas.

Ao longo dos três dias, o “Cachico – Mercado Rural” vai ser animado musicalmente pelos Gaiteiros de Serapicos, pelo grupo ”Pilha Galinhas” e pelos “Marotos flavienses”.

“A condizer com a ruralidade do mercado, a nossa escolha musical incidiu em grupos tradicionais. Ao longo do evento haverá ainda a animação permanente de atores, que vão evocar o mundo rural e interagir com o público”, adiantou.

No Domingo, dia 20 de novembro, um dos destaques é a concentração de tratores. Segundo o autarca de Carção, o objetivo desta reunião das máquinas agrícolas é sublinhar a identidade rural da aldeia.

“A concentração dos tratores é mais uma estratégia para motivar a população local a participar no evento. No decorrer da concentração vai realizar-se um sorteio para premiar a participação dos agricultores”, explicou.

No Domingo, às 15h00, vai celebrar-se a Missa campal, com a benção dos produtos da terra.

Depois, a IV edição do Cachico – Mercado Rural, em Carção, vai encerrar-se com um magusto, gratuito, onde o público terá a oportunidade de degustar o porco no espeto, as castanhas assadas, a jeropiga e a aguardente.

“Desde sexta-feira, dia 18 de novembro, aquando da abertura do evento, o público poderá provar o vinho dos produtores locais, que estará exposto em pipas no recinto do mercado rural. Depois, no final do certame, no dia 20, vai proceder-se à lavagem das pipas, para assim assinalar o encerramento do mercado”, informou.

O Cachico – Mercado Rural é um evento organizado pela freguesia de Carção e pela AMARTES – Associação de Desenvolvimento Artístico, Cultural e Desportivo, e conta com o apoio do município de Vimioso.

HA

Deixe um comentário