Vimioso: “King of Portugal” é considerada a melhor prova de todo-o-terreno da Europa

Vimioso: “King of Portugal” é considerada a melhor prova de todo-o-terreno da Europa

Está a decorrer em Vimioso, de 5 a 8 de outubro, o “King of Portugal”, uma prova motorizada de todo-o-terreno, considerada a melhor da Europa e que este ano conta com a participação de 62 equipas e de muito público.

Esta prova faz parte do Calendário do Campeonato da Europa de Ultra 4.

Os carros de todo-o-terreno chegaram a Vimioso a 5 de outubro, dia dedicado às verificações documentais e técnicas e a uma sessão de informações aos participantes na prova motorizada.

Hoje, dia 6 de outubro, os pilotos das várias classes: Unlimited, Modified, Legend e Stock/UTV’s estão a realizar-se o prólogo na pista situada no fundo da vila de Vimioso.

Na sexta-feira e no sábado, dias 7 e 8 de outubro, as etapas do King of Portugal vão decorrer no circuito da pedreira e na zona dos chamados “ovos de dinossauro”.

O “King of Portugal” integra o calendário do Campeonato da Europa de Ultra 4 e é a última prova do Troféu Nortex4.

Daniel é um aficionado do desporto motorizado e veio de Lérida, na Catalunha, para apoiar uns amigos que estão a participar nesta prova de todo-o-terreno. Chegou a Vimioso na quarta-feira, dia 5 de outubro e vai ficar até ao final da prova, para regressar a Espanha, no próximo Domingo, dia 9 de outubro.

“Vimioso é uma região muito bonita e tem excelentes condições para a realização destas provas de todo-o-terreno. A organização do “King of Portugal” está de parabéns dado que consegue fazer desta prova uma das melhores da Europa”, disse.

Por sua vez, a portuguesa, Sónia Gonçalves e um grupo de amigos vieram de Tábua para apoiar uma equipa motorizada daquela localidade, que vai participar pela primeira vez, na edição deste ano do King of Portugal.

“Esperamos que a competição seja um excelente espetáculo para todos: os pilotos e para o público”, disse.

O piloto Andrea Calandri veio de Peruggia, em Itália e informou que esta é a segunda vez que vem a Vimioso, para participar no King of Portugal. Já tinha participado em 2015 e para o jovem piloto italiano, o concelho vimiosense tem condições excecionais para prática do desporto motorizado todo-o-terreno.

“Na minha opinião é o melhor local para da Europa, para a prática desta modalidade motorizada”, disse.

Por seu lado, o piloto vimiosense, Vitor Martins, que é um assíduo participante nesta prova de todo-o-terreno, mostrou-se entusiasmado com a grande participação de equipas no “King of Portugal” deste ano.

“Vão participar 62 equipas o que traz maior competitividade à prova deste ano. Pessoalmente, vou competir na classe Stock/UTV’s e o meu objetivo é concluir a prova”, indicou.

O vice-presidente do município de Vimioso, António Santos, justificou que o investimento de 20 mil euros que a autarquia vimiosense faz neste evento desportivo tem um retorno financeiro e turístico.

“Ao longo dos 4 dias do evento, em Vimioso e nos concelhos vizinhos, estima-se que o retorno financeiro nos setores da hotelaria, restauração e no comércio seja superior a 75 mil euros”, indicou.

O autarca vimiosense sublinhou ainda que sendo o “King of Portugal” considerada a melhor prova de todo-o-terreno da Europa, este evento dá notoriedade e prestígio ao concelho de Vimioso.

Recorde-se que a organização da prova é da responsabilidade do Clube NorteX4 e conta com o apoio do município de Vimioso e da Federação Português do Automóvel e Karting (FPAK).

HA

Miranda do Douro: “Clássica Douro Internacional” promoveu o turismo e o desporto

Miranda do Douro: “Clássica Douro Internacional” promoveu o turismo e o desporto

Após a realização a 25 de setembro, em Miranda do Douro, da primeira edição da prova de cicloturismo “Clássica Douro Internacional”, a empresa organizadora “Cabreira Solutions” apresentou uma avaliação do evento, no qual os 535 ciclistas destacaram as paisagens da região, a hospitalidade e as acessibilidades.

Segundo o relatório agora divulgado, na primeira edição da “Clássica Douro Internacional” participaram 535 atletas, sendo que 96% homens e 4% mulheres.

O mesmo estudo indica que na prova, cuja partida e chegada ocorreu em Miranda do Douro, 87% dos participantes eram portugueses provenientes de regiões como o algarve (2%), alentejo (6%), Lisboa e Setúbal (16%), centro (17%), Porto e Douro Litoral (29%), Trás-os-Montes e Alto Douro (20%) e Minho (10%).

Os outros 3% dos ciclistas eram estrangeiros, de 11 nacionalidades.

A maioria dos ciclistas (42%) tinha idades compreendidas entre os 40 e 49 anos. Seguiu-se a faixa etária dos 50 aos 59 anos, com 24%. Os cicloturistas com 30 a 39 anos, representaram 20% dos participantes. 9% dos ciclistas foram jovens dos 18 aos 29 anos. E 4% dos ciclistas foram os ciclistas veteranos, com idades entre os 70 a 79 anos.

Nesta viagem e estadia em Miranda do Douro, os cicloturistas foram acompanhados pela equipa (45%) ou pela família (40%). Os restantes 15% viajaram sozinhos.

Segundo um inquérito realizado pela organização da “Clássica Douro Internacional”, durante a estadia em Miranda do Douro, os gastos dos atletas variaram entre os 25€ e mais de 150€.

Nesta visita a Miranda do Douro, os ciclistas optaram por ficar alojados num hotel (43,8%), em casas de turismo rural e alojamento local (23,8%) ou em pensões e residenciais (9,5%).

Sobre a visita à Terra de Miranda, os visitantes destacaram as paisagens (77%), a hospitalidade (60%), a gastronomia (59%), a oferta turística e cultural (46%) e as acessibilidades (41%). E a unanimidade dos inquiridos respondeu que vai recomendar a visita à Terra de Miranda.

Relativamente à primeira edição da prova de cicloturismo “Clássica Douro Internacional”, a maioria dos participantes revelou que teve conhecimento da prova através das redes sociais (61%) e dos amigos (39%).

As principais motivações para participar nesta prova foram: o local do evento (39,6%), as caraterísticas da corrida (22,2%), o convívio com os amigos e a família (11,1%) e a proximidade geográfica (10,4%).

No final da “Clássica Douro Internacional”, a maioria dos participantes felicitou a organização pelo desempenho do secretariado, pela segurança ao longo da prova, pela disponibilidade e simpatia do saff, pelo desempenho do speaker e pelo registo fotográfico da prova.

Sobre o percurso, os ciclistas destacaram o acompanhamento do staff, a beleza das paisagens, a sinalização e a segurança.

No final do evento, 42,4% dos participantes atribuiram a classificação de “excelente”, à primeira edição da “Clássica Douro Internacional”. E todos os participantes afirmaram que vão recomendar a participação nesta prova de cicloturismo.

HA

Miranda do Douro: Cursos em produção biológica, cogumelos e plantas aromáticas

Miranda do Douro: Cursos em produção biológica, cogumelos e plantas aromáticas

Com vista a valorizar os recursos naturais, o município de Miranda do Douro, em colaboração com a CoraNE, vai promover a partir deste mês de outubro, três cursos em modo de produção biológica, cogumelos silvestres e plantas aromáticas.

De acordo com o número de participantes inscritos, os cursos em Modo de Produção Biológico (50 h), Cogumelos de Outono (25h) e Plantas aromáticas, Medicinais e Condimentares (25h) vão realizar-se em modo presencial, em horário pós-laboral.

As inscrições para estes cursos de curta duração são gratuitas e realizam-se no Gabinete de Apoio ao Agricultor e Desenvolvimento Rural (GAADR), localizado nos cabanais do Castelo, em Miranda do Douro. Em alternativa, as fichas de inscrição podem ser enviadas para o email: ecomicologico. miranda@cm-mdouro.pt

Podem inscrever-se nestes cursos as pessoas que estejam empregadas, quem trabalhe na agricultura, os desempregados há menos de 1 ano e as pessoas com habilitações iguais ou superiores ao 12º ano.

HA

Miranda do Douro: Ucranianos agradecem o acolhimento dos mirandeses

Desde o início da guerra na Ucrânia, o concelho de Miranda do Douro acolheu a vinda de cinco famílias refugiadas, disponibilizando-lhes apoios na habitação, alimentação, frequência escolar e na procura de trabalho, ajudas que são preciosas para estas famílias ucranianas, que perderam tudo com o deflagrar da guerra.

Para o vice-presidente do município de Miranda do Douro, Nuno Rodrigues, responsável pelo pelouro da ação social, a situação dramática que se vive na Ucrânia levou o executivo a mostrar a sua imediata disponibilidade para acolher e apoiar o povo ucraniano.

“Em parceria com o Alto Comissariado para as Migrações (ACM), o acolhimento destas famílias do leste da Europa insere-se na política da ação social do município, que visa acolher e integrar as pessoas que vivem situações de maior vulnerabilidade”, justificou.

Recorde-se que a 24 de fevereiro de 2022, a Rússia invadiu militarmente a Ucrânia e a guerra que continua a devastar o país obrigou à fuga de mais de 10 milhões de pessoas.

Entre estes refugiados está Mycola Tsyberko, um cidadão ucraniano, de 31 anos, que se viu obrigado a fugir da guerra para acompanhar a sua família, a mulher e os dois filhos, com idades de 5 e 7 anos.

Micolay é natural da pequena cidade de Velyko Novosilko, na região de Donetsk. Aí tinha uma loja de informática, onde comercializava telemóveis e outros acessórios informáticos.

No passado mês de maio, Micolay e a sua família chegaram a Portugal, tendo sido encaminhados para Miranda do Douro, pelo Alto Comissariado para as Migrações (ACM).

“Em parceria com o ACM, o município de Miranda do Douro disponibiliza às famílias ucranianas, ajudas na alimentação e no arrendamento da habitação”, informou Luísa Dias, técnica superiora de serviço social, do município de Miranda do Douro.

Segundo a assistente social, em todo o concelho foram disponibilizadas 10 habitações para acolher famílias refugiadas.

“Atualmente, vivem no concelho cinco famílias: quatro residem na cidade de Miranda do Douro e uma família vive em Sendim”, indicou.

Relativamente à adaptação e integração destas famílias, Luísa Dias, informou que a comunicação tem sido a maior dificuldade.

“O desconhecimento mútuo das línguas ucraniana e portuguesa tem sido o maior obstáculo entre nós. Para superar este problema da comunicação, falamos em inglês e utilizamos os tradutores do whatsapp e do google”, informou.

No âmbito da integração das crianças ucranianas nas escolas do concelho, Margarida Preto, psicóloga do município, informou que em parceria com o Agrupamento de Escolas de Miranda do Douro (AEMD) estão a assegurar as matrículas, a alimentação e todos apoios sociais às crianças ucranianas.

“Para melhor integrar estas crianças nas escolas foi realizada uma campanha de sensibilização dirigida a toda a comunidade escolar. Pedimos, por exemplo, aos mais jovens que não menosprezassem estas crianças ucranianas”, informou.




De acordo com o vice-presidente do município de Miranda do Douro, Nuno Rodrigues, “as crianças ucranianas estão a adaptar-se bem às escolas e algumas já falam muito bem o português”.

Sobre o futuro destas famílias, a assistente social, Luísa Dias revelou que a maioria destas pessoas gostariam de regressar à Ucrânia. No entanto, o prolongar do conflito e a crescente destruição do país estão a ensombrar essa esperança e levam a que as famílias ucranianas ponderem refazer a vida em Portugal.

Micolay, por exemplo, também gostaria de regressar à Ucrânia, mas diz que mesmo que a guerra termine, teme que a Rússia volte a reacender o conflito mais cedo ou mais tarde.

“Eu sou pai de duas crianças, uma das quais tem problemas de saúde e não quero que a minha família viva nessa incerteza e perigo iminente. Quero que a minha família viva e cresça num ambiente de paz”, disse.

De acordo com este jovem ucraniano, a adaptação a Portugal e a Miranda do Douro está a decorrer “bem e rapidamente”. Apesar de ainda falarem pouco o português, algumas pessoas ucranianas já vão realizando alguns trabalhos, como por exemplo, no setor da restauração.

“Estamos muito agradecidos ao município e à população de Miranda do Douro pelo caloroso e generoso acolhimento que recebemos”, agradeceu.

HA

5 de outubro: «Não podemos olhar para algo que altera o bem comum e continuar impávidos e serenos» – Ana Miguel dos Santos

5 de outubro: «Não podemos continuar impávidos e serenos» – Ana Miguel dos Santos

Ana Miguel dos Santos, da Direção da Cáritas e antiga deputada na Assembleia da República, sente o “apelo do Papa Francisco aos cristãos” para que se envolvam na política.

“Não podemos olhar para algo que altera o bem comum e continuar impávidos e serenos, sem querer mudar”, disse em entrevista à Agência ECCLESIA, no contexto do Dia da Implantação da República (5 de outubro).

Numa visita à sede da fundação ‘Scholas Occurrentes’, em Roma, a 20 de maio de 2021, o Papa Francisco disse que “a política é a forma mais alta, maior, da caridade”, e Ana Miguel dos Santos identifica-se “com essa caracterização”, que “envolve a preocupação com o bem comum”.

“Efetivamente, a forma de alterarmos as coisas é envolvermo-nos nelas”, assinalou a advogada.

A entrevistada desta quarta-feira no Programa ECCLESIA (RTp2, 15h00) esteve no Parlamento português na XIV Legislatura, entre 2019-2022, e diz que sente o apelo do Papa para que os cristãos tenham, na política, “uma atitude proativa e não só reativa, transformadora”.

“Há uma sensação de apatia, estamos a assistir, mas parece que estamos confortáveis e não temos de convencer o outro, acho que alguma coisa também tem de mudar dentro da Igreja ou sobretudo entre os cristãos de não terem esse receio: nós podemos ter cristãos em todos os quadros políticos”, realçou.

A antiga deputada, eleita pelo PSD, recorda uma experiência “muito desafiante” no Parlamento, porque coincidiu com o período da Covid-19.

“Nestas situações de emergência tenho vontade de reagir e de ajudar, procurei sempre estar junto daqueles que mais precisavam”, recordou a jurista, especializada em assuntos militares, que teve oportunidade de, desde o início, “fazer um apelo para que os militares estivessem pelo menos na coordenação de uma operação logística”.

A sua mensagem, recorda a entrevistada, foi “procurar trazer tranquilidade” em momentos de emergência e de desconhecimento, e “procurar trazer mensagem de responsabilização de cada um”.

“Quando está em causa o risco, situações de catástrofe natural, ou risco decorrentes da atividade do homem, aquilo que se pede às pessoas é uma resposta consciente e sobretudo de prevenção”, acrescentou.

Ana Miguel dos Santos, que desde sempre sentiu o “apelo” para a política por influência do pai, considera que “as pessoas não se sentem verdadeiramente representadas” pelos partidos políticos, o que tem levado a um aumento da abstenção.

A advogada faz parte da direção da , um “desafio” que surgiu “ainda antes de ser deputada”.

“Tenho essa vontade de ajudar a mudar, sobretudo ajudar as instituições também a adequar-se às novas realidades. Não basta estarmos confortáveis em casa, a criticar o outro… gostava de ver as pessoas mais envolvidas, tragam as críticas e vamos alterar por dentro”, sugeriu.

Fonte: Ecclesia

Política: Municípios exigem “cumprimento rigoroso” da Lei das Finanças Locais em 2023

Política: Municípios exigem “cumprimento rigoroso” da Lei das Finanças Locais em 2023

A Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) exigiu ao Governo o “cumprimento rigoroso” da Lei das Finanças Locais, em 2023, o que implica a transferência para as Câmaras de um reforço de 219,73 milhões de euros.

Em declarações, o vice-presidente do Conselho Diretivo da ANMP, Ribau Esteves recordou que o “acordo de compromisso” firmado com o Governo envolve um conjunto de medidas nas áreas da Educação e da Saúde.

Em 2023, tais medidas “terão um impacto financeiro significativo nas contas dos municípios”, disse Ribau Esteves, em Coimbra, após uma reunião do Conselho Diretivo.

Ribau Esteves, que é também presidente da Câmara de Aveiro, defendeu que o Orçamento do Estado (OE) para 2023 deve “assegurar os recursos financeiros necessários” à concretização daquelas medidas.

Fonte: Lusa

Saúde: Maiores de 70 anos começaram a ser convocados para vacinação contra o covid-19

Os utentes com idades entre os 70 e os 79 anos começaram a receber SMS de agendamento de vacinação contra a gripe, a covid-19 ou ambas, anunciaram os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS).

O processo de agendamento da vacinação, no âmbito da campanha de vacinação outono-inverno, começou em 7 de setembro para pessoas com 80 ou mais anos, cujo agendamento das listas de utentes já foi concluído, referem em comunicado os SPMS.

Agora, está a ser agendada a vacinação para pessoas entre os 70 e os 79 anos e, posteriormente, para os utentes acima dos 60 anos.

“Estes utentes [maiores de 70 anos] já estão a receber SMS de agendamento para uma ou ambas as vacinas, de acordo com a sua elegibilidade”, adiantam os SPMS, explicando que o processo de agendamento é escalonado por faixas etárias.

Desde que a campanha arrancou, até segunda-feira, já foram vacinadas cerca de 700 mil pessoas contra a covid-19, das quais mais de 575 mil receberam as duas vacinas.

Relativamente ao número total de vacinas administradas contra a gripe já supera as 705 mil, nos vários centros de vacinação do país, segundo dados divulgados pelos SPMS.

A campanha de vacinação contra a covid-19 dirige-se a pessoas com 60 ou mais anos, grávidas com idade igual ou superior a 18 anos e doenças definidas pela norma publicada pela Direção-Geral da Saúde e pessoas com 12 ou mais anos com patologias de risco.

Para os residentes ou profissionais de Estabelecimentos Residenciais Para Idosos e na Rede Nacional de Cuidados Continuados e para profissionais de saúde e outros prestadores de cuidados estão indicadas as duas vacinas.

A vacinação contra a gripe é também recomendável para quem tem idade igual ou acima dos 65 anos, crianças com seis ou mais meses que apresentem doenças crónicas associadas, doentes crónicos e imunodeprimidos e grávidas.

A campanha sazonal tem por objetivo proteger a população mais vulnerável, prevenindo a doença grave, a hospitalização e a morte, prevendo-se que se prolongue até dezembro.

Fonte: Lusa

Mogadouro: Feira dos Gorazes regressa de 13 a 16 de outubro

Mogadouro: Feira dos Gorazes regressa de 13 a 16 de outubro

A tradicional Feira dos Gorazes está de regresso a Mogadouro, entre 13 e 16 de outubro, após dois anos de interregno devido à pandemia de covid-19, anunciou a Associação Comercial e Industrial local.

Com um investimento que ronda os 125 mil euros e mais de uma centena de expositores, a Feira dos Gorazes é classificada pelas entidades organizadoras – a Associação Comercial e Industrial de Mogadouro (ACISM) e a câmara municipal – como “um dos maiores certames do seu género na região Norte”.

“A feira esgotou os seus espaços, tanto no interior da nave de exposições, como nas áreas exteriores onde estão representados vários setores de atividades, desde a agricultura, à indústria, passando pelo comércio e produtos endógenos” explicou o presidente da ACISM, João Neves.

De acordo com o responsável, há um conjunto de atividades paralelas, como uma montaria ao javali, já esgotada no que respeita a participantes, um raid todo terreno, torneio de tiro aos pratos, exposição de raças autóctones, música tradicional e grupos de baile. No campo da música, o cabeça de cartaz será o artista português Fernando Daniel que sobe ao palco na noite de 15 de outubro, feriado municipal.

“A Feira dos Gorazes tem uma matriz essencialmente agrícola, que é complementada com um conjunto de atividades paralelas, sejam ela lúdicas e musicais, onde estão envolvidas diversas parcerias com entidades locais”, vincou o responsável.

Este ano, a feira terá entradas pagas, sendo que os bilhetes diários terão o preço de dois euros e o bilhete geral será de três euros, situação que levantou alguma contestação.

Outras das novidades para a edição deste ano da Feira dos Gorazes é que se vai realizar num recinto amplo que foi requalificado com uma área de 2.000 metros quadrados, onde a autarquia de Mogadouro investiu cerca de 1,2 milhões de euros através de uma candidatura a fundos do PROVERE (Programas de valorização económica de recursos endógenos).

Ao longo de dezenas de anos, muito se tem discutido sobre o nome desta Feira e sua origem. No entanto, segundo o historiador António Rodrigues Mourinho, terá origem medieval e não se trata apenas de uma tradicional feira de fim de colheitas. É um local de diversão e importante centro para o comércio do artesanato e de outros produtos tradicionais.

A Feira dos Gorazes tem associada uma componente gastronómica, com posta de vitela assada na brasa e a marrã (carne de porco assada na brasa) servidas nos restaurantes do concelho.

Fonte: Lusa

Sendim: Iniciam-se os workshops informáticos

Sendim: Iniciam-se os workshops informáticos

O Centro de Inovação e Tecnologia das Terras de Trás-os-Montes (CIT-TTM), sediado em Sendim, vai realizar de 4 outubro a 12 de novembro, um conjunto de workshops gratuitos, para fomentar o desenvolvimento de competências digitais.

Os workshops vão ser dinamizados por membros e parceiros da Associação Portuguesa de Business Intelligence (APBI) e pretendem dar a conhecer áreas de competência digital e novas ferramentas informáticas, tidas como essenciais para a coesão social, nomeadamente, no interior do país.
Estas formações têm lugar na sede do Centro de Inovação e Tecnologia de Terras de Trás-os-Montes (CIT-TTM), localizada na antiga escola primária de Sendim. Na impossibilidade de participar presencialmente, os workshops também serão difundidos on-line.

O programa dos workshops inicia-se esta terça-feira, dia 4 de outubro, às 18h00, com o módulo dedicado à “Exploração de Base de Dados”.

No dia 8 de outubro realiza-se o workshop “Desafios e possibilidades da Gestão de Pessoas na era do home office”, pelo orador Luis Bei, da VFR Tech. Durante o encontro serão abordados os temas: Novos tempos; O home office é mais antigo do que imaginamos; O regime home office na visão do colaborador; As limitações técnicas e sociais; e Responsabilidade das organizações.

Entre os vários workshops poderão existir pequenas atividades para que cada participante possa desenvolver autonomamente as suas competências, com o objetivo de reforçar a sua aprendizagem.

Segundo um comunicado, este novo centro tecnológico instalado na vila de Sendim visa o desenvolvimento do empreendedorismo local e a promoção de projetos de inovação na região das Terras de Trás-os-Montes.

O CIT-TTM é o resultado de uma parceria estratégica entre a APBI e o município de Miranda do Douro e foi inaugurado no dia 16 de julho de 2022, contando com a participação da secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, Isabel Ferreira.

HA

Ambiente: Palombar implementa dois novos projetos de conservação da fauna e dos solos

A organização Palombar – Conservação da Natureza e do Património Rural vai implementar dois novos projetos ambientais, que visam contribuir para a conservação da natureza e o combate à perda de biodiversidade.

Os projetos resultam da assinatura de dois protocolos de colaboração com a associação Viridia – Conservation in Action. Esta entidade tem como missão contribuir para a conservação da natureza, através do apoio a projetos de restauro de ecossistemas e de desenvolvimento humano em áreas de conflito natureza/sociedade, com carências significativas da população local.

Segundo a Palombar, o cofinanciamento é essencial para que a organização consiga implementar ações de conservação da biodiversidade e dos ecossistemas em áreas prioritárias no país.

O projeto “LIFE Aegypius return” visa consolidar e expandir a população do abutre-negro em Portugal e Espanha

O projeto “LIFE Aegypius return” é financiado pelo Programa LIFE da União Europeia e tem como objetivo principal consolidar e expandir a população ocidental de abutre-negro (Aegypius monachus) em Portugal e no oeste de Espanha.

«A nossa meta é aumentar o sucesso reprodutivo do abutre-preto, melhorando o seu estatuto de ameaça, para que passe de “Criticamente em Perigo” para, pelo menos, “Em perigo”», refere o comunicado.

As ações a desenvolver inserem-se no âmbito do projeto “Sentinelas”, iniciado no mês de setembro de 2022, e que vão ser agora potenciadas pelo financiamento da associação Viridia.

Em causa estão ações como a monitorização, através da marcação com dispositivos GPS, de espécies de aves e mamíferos que são mais afetadas por diversas formas de perseguição ilegal. Outra ação é avaliar a vulnerabilidade das espécies de fauna silvestre ao uso ilegal de venenos e analisar as perceções sociais relativamente às espécies de fauna silvestre.

O projeto Unidade de Paisagem para o Restauro do Solo e dos Habitats de Algoso – UP4REHAB

O outro projeto da Palombar que recebeu cofinanciamento da Viridia foi a “Unidade de Paisagem para o Restauro do Solo e dos Habitats de Algoso – UP4REHAB”.

O objetivo deste novo projeto é melhorar a qualidade do solo para aumentar a sua resiliência ao processo de desertificação e às alterações climáticas.

José Pereira, presidente da Palombar, destaca que “a parceria estabelecida com a Viridia é um marco na história associativa da Palombar. Mais do que um apoio financeiro, é o reconhecimento do nosso trabalho, da estratégia que procuramos implementar na conservação da natureza e na procura por uma coexistência pacífica com o mundo natural”, justificou.

HA