Rattan Lal critica a água que se gasta, o desperdício que é a irrigação por inundação em vez de rega gota a gota. (HA)

O cientista Rattan Lal, professor de Ciência dos Solos, vê na terra a solução para minimizar as alterações climáticas mas avisa que um solo degradado torna-se fonte de gases com efeito de estufa em vez de os absorver.

De 15 e 29 de julho, dez jovens voluntários, portugueses e estrangeiros, vão participar no 64.º Campo de Trabalho Voluntário Internacional (CTVI), que tem por objetivo reconstruir um pombal tradicional, na aldeia de Uva, no concelho de Vimioso.

Culturas como o amendoal e o olival, em expansão neste território transmontano, foram as mais beneficiadas com as últimas chuvas. (Flickr)

No nordeste transmontano, a chuva que caiu durante o mês de junho beneficiou as culturas de sequeiro, como o olival e o amendoal, disse o presidente da Associação de Produtores Agrícolas Tradicionais e Ambientais (APATA).

Segundo a Palombar, um dos problemas estruturais no território é a perda de funções básicas do solo devido à desertificação. (Palombar).

A Universidade de Aveiro (UA) e a Associação Palombar, sedeada em Vimioso, vão implementar o projeto Soil@INT para mitigar e monitorizar os efeitos das alterações climáticas no interior do país.

O solstício de verão começa às 20:51 de hoje (hora de Lisboa) e termina a 22 de setembro, com a chegada do outono. (IPMA)

O verão começa a 20 de junho, com céu nublado, possibilidade de alguns aguaceiros dispersos e temperaturas abaixo da média para época, entre os 17 e os 26 graus, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O estudo “O valor económico da água em Portugal” é apresentado a 19 de junho, na Fundação Gulbenkian, em Lisboa. (Flickr)

Até 2030, o preço da água deverá aumentar 25,7% para manter o consumo urbano aos níveis de 2022, segundo um estudo no qual, pela primeira vez, se faz uma análise do valor económico da água em Portugal.

Na aldeia de Uva, os trabalhos vão incidir na construção de um pombal tradicional de 15 a 29 de julho. (foto: Palombar)

A Associação Palombar, com sede em Vimioso, desenvolveu o projeto NatuRural Heritage, que tem como objetivos promover o restauro e a conservação do património rural e natural, de aldeias do Nordeste Transmontano.

Em 2022, do total de resíduos recolhidos, a reciclagem representou apenas 22%. (flickr)

Em Portugal, a recolha seletiva de resíduos continua abaixo das metas definidas para 2025, sendo o plástico o menos reciclado, segundo dados da Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

No concelho de Miranda do Douro vão ser instaladas três entradas do PNDI: na cidade, no cabeço da Senhora da Luz e em Sendim. (flickr)

O presidente da Comissão de Cogestão do Parque Natural do Douro Internacional (PNDI) anunciou que esta área protegida vai ser dotada de centros interpretativos, designados por Portas do Parque, a instalar nos quatro concelhos deste território fronteiriço.

Segundo fonte do município de Mogadouro, o manganês não é prejudicial para a saúde pública, mas aconselha-se que a lavagem da roupa seja feita sem recursos a lixívia ou derivados para evitar manchas. (MM)

O município de Mogadouro emitiu um aviso à população para a existência de manganês na rede de abastecimento de água, provocando uma tonalidade mais escura na água.

O Parque Ibérico de Natureza e Aventura (PINTA), em Vimioso, foi o local do IV Encontro de Convergência Ecológica e Ambiental, que decorreu no fim-de-semana de 14 e 15 de outubro e juntou associações e municípios, para refletir sobre o urgente desafio da transição energética.

Um dos novos miradouros foi construído na raiana de Paradela, a localidade mais oriental de Portugal, onde o sol nasce primeiro no nosso país. (HA)

O concelho de Miranda do Douro tem dois novos miradouros, que são autênticas varandas sobre as arribas do Parque Natural do Douro Internacional, tendo sido investidos cerca 300 mil euros, na construção destes equipamentos enquadrados na paisagem.

A 1 de outubro iniciou-se o período geral de caça, que decorre até 31 de dezembro. Nas zonas de caça associativas de Palaçoulo e na Póvoa e Ifanes, a atividade cinegética continua a ser praticada por muitos caçadores, locais e visitantes, para quem esta atividade é hoje encarada como um modo de cuidar do ambiente e de preservar espécies como a perdiz e o coelho-bravo.

A perdiz de Trás-os-Montes é uma espécie muito apreciada pelos caçadores. (flickr)