Vimioso: Município aprovou o orçamento municipal para 2022

O Plano e Orçamento do município de Vimioso para 2022 vai ter uma dotação financeira de 13,2 milhões de euros e foi aprovado por maioria, em Assembleia Municipal, informou o presidente da câmara, Jorge Fidalgo.

“Este documento, agora aprovado por maioria, tanto pelo Executivo Municipal como pela Assembleia Municipal, visa terminar os investimentos que vinham dos dois orçamentos anteriores e que têm a ver com a aplicação de fundos comunitários. Estamos a falar nas despesas de capital”, explicou o social-democrata, Jorge Fidalgo.

Destes investimentos, o autarca destaca as áreas da reabilitação urbana, tais como os arranjos urbanísticos em Vimioso, a intervenção na avenida de Argozelo ou os projetos no âmbito do PREVERE, como os Centros de Dinamização de Caçarelhos e Santulhão, obras que o município quer terminar em 2022.

A conclusão das obras em cursos no Posto da GNR de Vimioso é outros propósitos e está orçado em 850 mil euros.

O autarca espera ainda que quando for apurado o saldo de gerência “possa haver algumas alterações ao Plano Plurianual de Investimentos porque haverá maior disponibilidade financeira para investimento”.

A requalificação de um novo açude no rio Angueira para reforço de abastecimento de água à população é outra das prioridades inscritas neste Plano e Orçamento do município vimiosense.

O autarca salienta que 85 % do orçamento do município de Vimioso depende das transferências do Orçamento de Estado (OE), sendo “gasto em despesas correntes”.

“Dos 13,2 milhões de euros contemplados no orçamento municipal, há 4,5 milhões para investimento de capital e 8,8 milhões de euros para despesas correntes. Mesmo assim, ainda conseguimos ter uma excedente das receitas correntes de cerca de 320 mil euros que nos permite aumentar o investimento nas despesas de capital”, explicou Jorge Fidalgo.

A câmara de Vimioso tem uma dívida “residual” , mas depende de fundos comunitários para alavancar alguns projetos municipais.

“Não queremos estar a fazer investimentos que comprometam a saúde financeira do município”, observou.

No que toca aos impostos municipais, a taxa de IMI será de 0,3% sobre os prédios urbanos e de 0,8% sobre os prédios rústicos, com redução do imposto a pagar nos prédios destinados à residência permanente dos sujeitos passivos com dependentes a cargo.

O município de Vimioso não aplica a Derrama municipal.

A Lusa tentou ouvir a vereadora da oposição eleita pelo PS mas não foi possível até ao momento.

O executivo municipal de Vimioso é composto por quatro eleitos pelo PSD e um eleito pelo PS. O PSD tem, igualmente, maioria na Assembleia Municipal.

Fonte: Lusa 

Deixe um comentário