Ucrânia: Imagem de Nossa Senhora de Fátima iniciou peregrinação em Lviv

A imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima foi acolhida por centenas de pessoas na igreja da Natividade, em Lviv, onde iniciou o seu percurso pela cidade ucraniana.

A imagem partiu da Cova da Iria, a 14 de março, como “mensageira de paz”, segundo o Santuário de Fátima, e vai ficar em Lviv até 15 de abril.

A arquidiocese ucraniana refere, em nota divulgada online, que os católicos vão “pedir a Deus e à Virgem Maria a paz na Ucrânia e no mundo”.

D. Ihor Vozniak, arcebispo metropolita greco-católico de Lviv, fez este pedido a Fátima, perante o cenário de guerra que se vive na Ucrânia.

A solicitação formal do arcebispo foi efetuada a 10 de março: “Pedimos que nos possam enviar a Imagem da Virgem Peregrina de Fátima para a Ucrânia para que possamos rezar pedindo a sua proteção para que a paz regresse ao país”.

O Santuário de Fátima sublinhou, em nota, que a deslocação desta imagem ao território ucraniano, que acontece pela primeira vez, é justificada com o “esforço pastoral de oração pela paz no mundo, em especial na Ucrânia”.

A Imagem nº 13 é uma réplica da Imagem número 1, desenhada e concebida de acordo com instruções da Serva de Deus, Irmã Lúcia de Jesus e coroada solenemente pelo arcebispo de Évora, em 13 de maio de 1947.

O Papa Francisco vai consagrar a Rússia e Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria, no dia 25 de março, numa cerimónia marcada para as 17h00 [menos uma em Lisboa] na Basílica de São Pedro.

A Santa Sé informa que o mesmo ato será realizado em Fátima, em ligação ao Vaticano, pelo cardeal Konrad Krajewski, esmoler pontifício, como enviado do Papa.

A celebração, na Cova da Iria, vai decorrer na Capelinha das Aparições.

A 25 de março de 1984, o Papa São João Paulo II presidiu à consagração do mundo ao coração de Maria, no Vaticano, diante da imagem de Nossa Senhora de Fátima, venerada na Capelinha das Aparições, a mesma que, em 2000, colocou entre os bispos de todo o mundo, consagrando-lhe o terceiro milénio.

O testemunho dos videntes de Fátima regista que, na aparição de 13 de julho de 1917, Nossa Senhora lhes disse: “Para impedir a guerra virei pedir a consagração da Rússia ao meu Imaculado Coração e a Comunhão reparadora nos Primeiros Sábados”.

“Se atenderem a meus pedidos, a Rússia se converterá e terão paz; se não, espalhará seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja. Os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer, várias nações serão aniquiladas. Por fim, o meu Imaculado Coração triunfará”, registava Irmã Lúcia, falecida em 2005, nas suas ‘Memórias’.

Fonte: Ecclesia

Deixe um comentário