Ucrânia: Campanha da Cáritas Portuguesa angariou 506 mil euros

Até 30 de março, a Cáritas Portuguesa recolheu 506 mil euros na sua campanha de apoio à Ucrânia, informou a organização católica, após a reunião do seu Conselho Geral, que se realizou em Fátima.

“O Conselho foi informado sobre o trabalho que a Cáritas está a realizar na resposta de intervenção humanitária junto da população vítima deste conflito, no âmbito da campanha ‘Cáritas Ajuda Ucrânia’ que até ao dia 30 de março angariou o valor total de 506 mil euros”, refere uma nota divulgada online, no final do encontro que congregou 18 das 20 Cáritas das dioceses portuguesas.

A Cáritas Portuguesa “segue o mecanismo de atuação da Caritas Internationalis”, em três fases: emergência; estabilização e reabilitação, que prevê encargos mais elevados e de médio prazo dirigidos à integração; reconstrução, com necessidades mais elevadas de financiamento para o desenvolvimento de projetos a longo prazo.

“Em resposta à primeira fase, a Cáritas Portuguesa, através da verba angariada, fez já a aplicação de 40 mil euros para a apoio à Cáritas da Ucrânia (20 mil euros) e à Cáritas da Polónia (20 mil euros)”, adianta a nota.

Já para a resposta às situações resultantes do acolhimento de refugiados em território nacional, foi alargado o programa nacional ‘Vamos Inverter a Curva da Pobreza em Portugal’.

“Depois de dois anos de pandemia, a Cáritas em Portugal e no mundo volta-se, agora, também, para as necessidades geradas pela guerra na Ucrânia. Os efeitos deste conflito já se fazem sentir em Portugal de diversas formas, com maior incidência nas famílias mais vulneráveis”, indica a organização de solidariedade da Igreja Católica.

O encontro foi presidido por D. José Traquina, bispo de Santarém e presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana, o qual recordou que estes impactos se estendem à realidade nacional das organizações sociais.

“Olhando para a atual situação nacional os membros do Concelho fizeram uma leitura transversal da realidade vivida em cada diocese tendo-se evidenciado preocupações comuns: aumento dos pedidos de apoio, com destaque para as pessoas em situação de emprego, mas com rendimentos baixos e a necessidade de desburocratização e maior coordenação entre serviços sociais locais”, acrescenta o comunicado.

Durante os trabalhos foram aprovados os Relatórios de Atividades e de Contas referentes ao ano de 2021.

A rede Cáritas manifestou a sua solidariedade perante a partilha da Cáritas Diocesana dos Açores sobre a situação vivida na ilha de S. Jorge e o apoio já providenciado, nomeadamente, através do envio de colchões, cobertores e toalhas para as famílias deslocadas.

Fonte: Ecclesia

Deixe um comentário