Turismo: Nove percursos para passear pelas Terras de Trás-os-Montes

Os nove concelhos da comunidade intermunicipal (CIM) Terras de Trás-os-Montes têm a partir de agora um percurso temático que permite explorar as potencialidades naturais deste território, durante todo o ano.

Trata-se do projeto “Nove Passos nas Terras de Trás-os-Montes”, para dar a conhecer a natureza da região, através de nove percursos temáticos sinalizados nos nove municípios, do distrito de Bragança.

Cada percurso mostra um tema natural específico e foi definido para ser visitado na estação do ano em que mais sobressai o potencial natural local.

Na primavera, sugerem-se as visitas ao “Percurso dos Lagos do Sabor”, em Alfândega da Fé; ao “Trilha Quercus”, para observação de aves aquáticas no Azibo, em Macedo de Cavaleiros; ao “Percurso de São João das Arribas”, em Miranda do Doura, para ver os abutres; e ao “Percurso de Vale de Lobo”, em Mirandela.

A primavera é também a altura do ano mais propícia para observar a fauna do rio Angueira, através do “Percurso do Castelo de Algoso”, em Vimioso; e as borboletas e outros invertebrados existentes no “Percurso Biospots”, no Parque Biológico de Vinhais.

Para o verão, recomenda-se a visita às galerias rupícolas existentes no “Percurso Vilarinho das Azenhas a Ribeirinha”, em Vila Flor.

No outono, é proposto o “Percurso Biospots”, em Bragança, com a observação de veados.

E o inverno é indicado como a época do ano mais aconselhada para realizar o “Percurso da Cascata da Faia da Água Alta”, em Mogadouro.

Segundo a CIM Terras de Trás-os-Montes, para além da sinalização dos percursos, foi também desenvolvido material informativo, um ‘site’ – 9passos.cim-ttm.pt/ e um passaporte de modo a motivar os visitantes a percorrer todos os percursos existentes.

Foi ainda criada uma aplicação – Nove Passos nas Terras de Trás-os-Montes -, disponível para IOS e Android, que permite a navegação pelos percursos, com a identificação de diversos pontos de interesse relacionados com fauna, flora, geologia e paisagem, incluindo os melhores locais para a observação do tema de cada percurso.

Com este projeto, os nove municípios pretendem promover o contacto direto com a natureza, a exploração da biodiversidade, geologia e paisagem.

A CIM destaca, em comunicado, o valor ecológico existente, sendo que mais de 40% deste território está classificado com áreas protegidas e toda a região está inserida na Reserva da Biosfera Transfronteiriça (RBT) Meseta Ibérica.

Lusa | HA

Deixe um comentário