Sociedade: Bispos apelam à participação dos portugueses nas legislativas e pedem clareza aos partidos

A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) apelou à “participação democrática” dos portugueses nas eleições legislativas de 30 de janeiro e exortou os partidos a apresentarem “com clareza as suas propostas quanto aos grandes problemas da sociedade”.

Em nota, divulgada após a reunião do Conselho Permanente, a CEP identifica, nomeadamente as questões que respeitam “à vida humana e sua salvaguarda integral, às situações de pobreza e coesão económica, às questões da justiça, à desertificação do interior do país, à situação dos imigrantes e aos problemas ambientais” como as áreas em que deseja ver os partidos políticos a esclarecerem os eleitores.

Na reunião do Conselho Permanente, realizada por via digital devido à pandemia, foi deixado também um apelo à “vacinação para todos os cidadãos contra a covid-19 e ao cuidado reforçado em relação às medidas de proteção nos espaços litúrgicos, tais como o distanciamento previsto nas normas, a higienização e o uso de máscara”.

Este é um órgão delegado da assembleia dos bispos católicos em Portugal, com funções de preparar os seus trabalhos e dar seguimento às suas resoluções, reunindo-se ordinariamente todos os meses.

A CEP pede aos partidos políticos que esclareçam os eleitores sobre as questões que respeitam “à vida humana e sua salvaguarda integral, às situações de pobreza e coesão económica, às questões da justiça, à desertificação do interior do país, à situação dos imigrantes e aos problemas ambientais”.

Outra questão abordada pelos bispos católicos foi a apresentação, ocorrida a 10 de janeiro, da Comissão Independente para o Estudo de Abusos Sexuais na Igreja Católica Portuguesa, com os prelados a congratularem-se “com os passos iniciais até agora empreendidos”.

Os trabalhos abordaram também dois documentos para aprovação na próxima Assembleia Plenária da CEP, em abril, que estão em “fase de auscultação em ritmo sinodal junto das instâncias diocesanas e de outros organismos eclesiais”: ‘Ministérios laicais para uma Igreja ministerial’ e ‘Itinerário de Iniciação à Vida Cristã com as Famílias, com as Crianças e com os Adolescentes’.

Está também em preparação uma Nota Pastoral para apresentar a nova edição do Missal Romano, o qual entra em vigor na próxima Quinta-feira Santa.

As próximas Jornadas Pastorais, que vão decorrer de 20 a 22 de junho, abordarão o tema da Sinodalidade, a partir das sínteses das Dioceses e da Conferência Episcopal.

O Conselho Permanente da Conferência Episcopal Portuguesa é atualmente constituído por José Ornelas, bispo de Setúbal (presidente da CEP), Virgílio Antunes (vice-presidente), bispo de Coimbra, padre Manuel Barbosa (secretário) e os vogais Manuel Clemente, cardeal-patriarca de Lisboa, Manuel Linda, bispo do Porto, José Cordeiro, bispo de Bragança-Miranda, António Marto, bispo de Leiria-Fátima e Francisco Senra Coelho, arcebispo de Évora.

Fonte: Lusa e Ecclesia

Deixe um comentário