XVII DOMINGO DO TEMPO COMUM

Abrir o coração

Gen 18, 20-32 / Slm 137 (138), 1-3.6-8 / Col 2, 12-14 / Lc 11, 1-13

Após ensinar aos seus discípulos o Pai-Nosso, Jesus aponta-nos três atitudes fundamentais na vida espiritual: pedir; procurar; bater à porta. É possível que nas nossas vidas nem sempre tenhamos recebido de Deus o que pedimos. Algumas vezes, porque talvez o que tenhamos pedido não coubesse a Deus dar. Outras vezes, porque o Senhor nos deu, não a graça que buscávamos, mas a graça que precisávamos.

Nos nossos momentos de aflição, pedir é o início da oração: há que começar por apresentar ao Senhor aquilo que precisamos. E em seguida procurar, não somente o que pedimos, mas a vontade de Deus para as nossas vidas, o lugar em que Ele se está a revelar ou ao qual nos está a chamar. E aí, então, bater à porta, incessantemente. Para entrar numa nova casa? Nem sempre, pois por vezes o que há a fazer é sair da nossa e pedir a Deus que abra a porta dos nossos corações, pois por vezes esquecemo-nos de como o fazer.

Por vezes, o que há a fazer é sair da nossa casa e pedir a Deus que abra a porta dos nossos corações, pois por vezes esquecemo-nos de como o fazer.

Estes conselhos de Jesus são vida nos momentos em que nos sentimos desorientados, sem norte.

E no comum dos nossos dias, o que podemos pedir? Rezemos o Pai-Nosso, que na segunda parte nos indica o caminho de salvação: peçamos o pão nosso de cada dia, a graça específica que o Senhor nos dá para viver santamente esse dia; peçamos o seu perdão e a vontade de retribuir o seu amor perdoando os irmãos; e peçamos a graça de não cairmos em tentação.

Peçamos, sem vergonha, ao Pai. Procuremos a sua presença e a sua vontade sem cessar. E batamos, sem nos cansar, à sua porta. O Senhor, que é bom e Pai de bondade, irá oferecer-nos o Espírito e abrir-nos-á a porta da salvação, da vida que não acaba, da alegria que é para sempre.

Procuremos a Sua presença e a Sua vontade sem cessar. E batamos, sem nos cansar, à Sua porta.

Fonte: Rede Mundial de Oração do Papa

https://www.redemundialdeoracaodopapa.pt/meditacao-diaria/1770

Deixe um comentário