Pecuária: Queda acentuada do número de explorações leiteiras em Portugal

O número de explorações leiteiras caiu 90,7% no Continente, entre 1999 e 2019, enquanto nos Açores a redução foi de 52,5%, segundo um relatório da subcomissão dedicada ao leite.

“Entre 1999 e 2019 houve uma redução muito grande no número de explorações (90,7% no Continente e 52,5% nos Açores)”, lê-se no documento agora divulgado e que esteve em discussão no dia 12 de janeiro, entre o Ministério da Agricultura e a Plataforma de Acompanhamento das Relações na Cadeia Agroalimentar (PARCA).

No Continente, registou-se uma perda de 27.426 explorações, sobrando apenas 2.550, em 2019.

Nos Açores, o número passou de 5.119 explorações para 2.428.

Já entre 2009 e 2019, o efetivo leiteiro diminuiu 11,8%, impulsionado por um recuo de 19,3% no Continente, onde se verificou uma diminuição de 185.645 animais, ficando apenas 149.727 animais.

Contudo, no período em análise, os Açores tiveram um aumento de 92.381 animais, somando 95.385 em 2019.

“Analisando o efetivo por classes de número de animais, verificou-se um decréscimo acentuado na classe até 30 animais, tanto no Continente como nos Açores, e um forte aumento na classe acima de 100 animais, tanto no Continente como nos Açores. Na classe intermédia, no Continente houve também um decréscimo acentuado, mas moderado nos Açores”, apontou a subcomissão específica dedicada ao leite e produtos lácteos.

Por sua vez, a dimensão das explorações “alterou-se significativamente”, com um decréscimo de 55,8% nas explorações de menor dimensão, ou seja, até 30 animais, e um aumento de 46% nas explorações de maior dimensão (acima de 100 animais).

As entregas de leite cru em Portugal, por seu turno, tiveram um crescimento entre 2013 e 2015, seguidas de um retrocesso em 2016.

Após esta quebra passou a haver uma tendência de aumentos anuais de cerca de 1%.

No caso do Continente, observaram-se quebras de 6% em 2016; e de 1% em 2019, enquanto nos Açores houve uma perda de 1% em 2016 e um aumento homólogo de 4% em 2018.

Fonte: Lusa

Deixe um comentário