Palaçoulo: Ensaios musicais recriam serões de antigamente

No dia 14 de junho, as pessoas presentes no Largo da Praça de Palaçoulo viveram um serão diferente, graças à visita da tuna da universidade sénior de Miranda do Douro e do coro infantil de Palaçoulo, que realizaram um ensaio conjunto, ao ar livre, possibilitando assim a participação da população local, numa iniciativa que, mais uma vez, alegrou e (en)cantou, quem por lá passou.

O Largo da Praça de Palaçoulo acolheu o terceiro ensaio deslocalizado da tuna da Universidade Sénior e do Coro Infantil de Palaçoulo.

A decorrer durante os meses de maio e junho, os ensaios deslocalizados são uma iniciativa município de Miranda do Douro, através da Casa de la Música Mirandesa, que tem como maior objetivo levar a música às várias localidades do concelho.

Após a sua participação nos ensaios na Póvoa, a 2 de junho, e Sendim, a 9 de junho, a presidente do município de Miranda do Douro, Helena Barril, voltou a acompanhar o ensaio deslocalizado agora em Palaçoulo.

“Estou aqui para acompanhar a tuna da universidade sénior e participar no ensaio musical. Dado que os ensaios são deslocalizados nas várias localidades do concelho, acabo por ter a oportunidade de estar mais próxima das pessoas que aqui vivem, o que também é importante” – Helena Barril.

De acordo com Paulo Meirinhos, o maestro dos ensaios, esta iniciativa tem o propósito ir ao encontro das pessoas, conviver um pouco com elas e juntar as várias gerações – adultos, jovens e crianças – num descontraído e informal serão musical.

“Estes ensaios musicais fazem-me recordar aqueles serões de antigamente, em que as famílias e os amigos, se juntavam para confraternizar, conviver e cantar juntos”, disse.

Relativamente à participação das crianças nos ensaios deslocalizados, o também professor de música, Paulo Meirinhos, salientou que o propósito é dar aos mais novos a oportunidade de cantar fora da escola, num ambiente mais descontraído e acompanhados pelos pais, avós e amigos.

Sobre o repertório das músicas cantadas nos ensaios, o vocalista dos Galandum Galundaina, revelou que a tuna da universidade sénior e os coros infantis cantam todo o tipo de músicas.

“Cantamos de tudo: músicas tradicionais mirandesas, portuguesas e até estrangeiras. Chegamos a gracejar entre nós, dizendo que estamos a cantar em cinco idiomas: o mirandês, o português, o espanhol, o inglês e até o italiano!” – Paulo Meirinhos.

Emídio Falcão é um dos cantores da tuna da universidade sénior de Miranda do Douro. Natural da Póvoa, este aficionado da música, explicou que a mais-valia dos ensaios deslocalizados é a oportunidade de se mostrarem às populações locais e por conseguinte incentivar outras pessoas a participarem na tuna ou noutras atividades da universidade sénior.

Sobre a originalidade dos ensaios conjuntos com os coros infantis, Emídio Falcão mostrou-se radiante pela oportunidade de cantar com as crianças.

“É muito bonito cantar com os mais novos! Assim, como também era muito consolador visitar e ensaiar nos lares de pessoas idosas, antes da pandemia”, Emídio Falcão.

Atualmente, o coro infantil de Palaçoulo integra 10 crianças, que frequentam os ensinos pré-primário e 1º ciclo, na escola local. De acordo com o professor, Paulo Meirinhos, no decorrer das aulas de educação musical, procura ensinar aos alunos as músicas tradicionais mirandesas, como o “Riu piu piu”, o “Pirlimpimchim”, entre outras.

Lucas Gonçalves, com 8 anos é um destes alunos. Faz parte do coro infantil de Palaçoulo e disse que gosta de cantar. A sua música preferida é “As penas do verde gaio”. Sobre o professor, acrescentou que por vezes no decorrer das aulas, Paulo Meirinhos, também faz truques de magia!

Do lado das meninas, Miriam Fernandes, com nove anos, disse que também gosta de cantar e destacou a música “Carolina arredonda a saia”.

O presidente da freguesia de Palaçoulo, Gualdino Raimundo, foi uma das pessoas que acompanharam este ensaio dos mais novos com a tuna da universidade sénior, no Largo da Praça de Palaçoulo. E o autarca expressou assim o seu agrado com esta iniciativa.

“Esta iniciativa é excelente, dado que traz a música às populações rurais, quer às pessoas com mais idade e também aos mais jovens”, Gualdino Raimundo.

No mesmo sentido, a presidente da Caramonico – Associação para o Desenvolvimento Integrado de Palaçoulo, Jenifer Martins, licenciada em Educação Musical, aplaudiu a iniciativa e destacou os benefícios da música para a saúde das pessoas.

“A música para além de criar laços sociais e culturais dentro e fora da comunidade, desenvolve a concentração, estimula a memória, tem efeitos terapêuticos no alívio de dores e propicia o relaxamento” – Jenifer Martins.
.

E com o propósito de oferecer os dons da música à comunidade de Palaçoulo, Jenifer Martins, informou que a associação Caramonico pretende desenvolver várias atividades como um Teatro Musical, no mês de dezembro e o Cantar das Janeiras, no Dia de Reis, em janeiro.

Segundo Jenifer Martins, presidente da associação Caramonico, a música cria laços sociais e culturais entre as pessoas e comunidades.

HA

Deixe um comentário