Cooperação transfronteiriça: Projeto “Raia Norte Bikes” utilizado por mais de 500 pessoas

O projeto turístico “Raia Norte Bikes”, que visa promover a mobilidade ecológica no território transfronteiriço abrangido Duero-Douro, recebeu mais de 500 utilizadores em pouco mais de um mês, foi divulgado pelo Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial.

O “Raia Norte Bikes” é composto por um total de 48 bicicletas elétricas distribuídas por 12 plataformas e está em funcionamento há pouco mais de mês.

“O projeto ‘Raia Norte Bikes’ é promovido pelo AECT Duero-Douro e já ultrapassou os 500 utilizadores, após um mês da sua implantação no território de fronteira.

Segundo os indicadores, os aventureiros já percorreram 1.160 quilómetros pelos vários concelhos, onde estes equipamentos estão instalados”, disse o diretor geral do AECT Duero-Douro, José Luis Pascual.

Com esta nova proposta turística, os visitantes e a população local podem percorrer os territórios das localidades transfronteiriças de bicicleta, tais como Mogadouro, Picote (Miranda do Douro), Freixo de Espada à Cinta, Torre de Moncorvo, Vinhais e Varge – Aveleda, no distrito de Bragança, e Vila Nova de Foz Côa, na Guarda.

De acordo do diretor geral do AECT Duero-Douro, José Luís Pascual, as 48 bicicletas elétricas que estão disponíveis, podem ser utilizadas com um custo mínimo de dois euros, o que permite circular até 120 minutos.

Segundo o responsável, foram igualmente realizados 600 trajetos com uma duração média de 81 minutos e uma distância média percorrida de cerca de sete quilómetros pelo território de fronteira, que vai desde o concelho de Bragança até Vila Nova de Foz Côa, o que se traduziu numa economia de 173 quilos de dióxido de carbono.

“O projeto ‘Raia Norte Bikes’ permite ainda a assinatura mensal, semestral ou anual, o que se pode revelar uma interessante alternativa de mobilidade para os residentes locais e que está a ser um sucesso entre os utilizadores residentes e quem visita estes territórios”, indicou José Pascual.

Por seu lado, José Luís Pascual explicou que este projeto pretende ainda, no seu todo, promover a criação e dinamização de uma rota de apoio ao turismo itinerante e ao autocaravanismo, a juntar às estações de bicicletas elétricas.

Atualmente, esta rede contempla 33 Áreas de Serviço para Autocaravanas no território Duero-Douro, de um lado e do outro da fronteira, entre outros equipamentos e serviços.

“Do lado português, esta iniciativa representa um investimento superior a meio milhão de euros e uma comparticipação de 70% do Turismo de Portugal”, vincou.

O “Raia Norte” prevê, até ao final do ano, a criação de 14 Áreas de Serviços para Autocaravanas, que incluem seis lugares de pernoita e uma Estação de Serviço para limpeza e reabastecimento de águas”, concretizou.

A localização destes parques para autocaravanas abrange localidades como Vinhais, Moimenta, Pinheiro Novo e Rebordelo, no município de Vinhais, a que se juntam Aveleda, na União das Freguesias de Aveleda e Rio de Onor (Bragança), bem como Picote, no concelho de Miranda do Douro, Bemposta e Meirinhos, no município de Mogadouro, Lagoaça, Mazouco e Poiares, no município de Freixo de Espada à Cinta, Carviçais e Cardanha, em Torre de Moncorvo, e a cidade de Vila Nova de Foz Côa.

Do lado espanhol, já foram criadas 19 Áreas de Serviço para Autocaravanas em localidades de Zamora e Salamanca, com o apoio da Junta de Castela e Leão.

Fonte: Lusa

Deixe um comentário