Autárquicas: PSD quer fazer de Miranda uma terra de oportunidades

A candidatura social-democrata apresentou, em São Pedro da Silva, uma nova conferência online dedicada ao tema “Fazer de Miranda uma terra de oportunidades”, que teve como convidados Graça Carvalho, ex-ministra da Ciência e do Ensino Superior e Nuno Morais Sarmento, dirigente do PSD.

No passado Domingo, dia 5 de setembro, os sociais-democratas estiveram em São Pedro da Silva, para protestar contra a falta de água na rede pública e a candidata à presidência da Câmara Municipal de Miranda do Douro, Helena Barril, usou esta caréncia básica para denunciar a letargia em que se encontra o concelho de Miranda do Douro afirmando que é urgente criar e recuperar oportunidades que promovam o desenvolvimento local.

Helena Barril, afirmou que é candidata à Câmara Municipal “para fazer de Miranda do Douro uma terra de oportunidades”. E para isso, a candidata social-democrata disse que vai continuar a denunciar e a lutar para que sejam pagos os “200 milhões de euros de venda da concessão das barragens, com a conivência dos atuais orgãos autárquicos e do partido socialista local”.

A candidata social-democrata disse ainda que vai insistir para que a Movhera, a empresa concessionária das barragens instale realmente a sua sede em Miranda do Douro. Sobre a promessa de requalificação das pedreiras provocadas pela construção da barragem de Miranda do Douro, Helena Barril designou essa intenção como “promessa vaga”.

O candidato à presidência da assembleia municipal de Miranda do Douro, Óscar Afonso, agracedeu a participação dos convidados, Graça Carvalho e Nuno Morais Sarmento na webconferência intitulada “Fazer de Miranda uma terra de oportunidades” e descreveu os convidados como duas pessoas que se destacaram no exercício de cargos públicos com seriededade e espírito de serviço. O economista disse que estes são também os princípios que norteiam a candidatura social-democrata “Tempo de acreditar”, aos orgãos autárquicos de Miranda do Douro.

Na sua intrevenção, o convidado Nuno Morais Sarmento elogiou as pessoas que se disponibilizam para servir as populações no exercício da política, quer nos órgãos das freguesias, na assembleia municipal e na câmara municipal.

Numa alusão ao estado do país e à governação socialista, o dirigente do PSD disse que Portugal está a ficar para trás nos indicadores de desenvolvimento em comparação com os 27 países europeus.

“Portugal ocupa a 24ª posição”, disse.

Na sua intervenção, a professora Graça Carvalho começou por referir-se ao polo universitário da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), que funcionou em Miranda do Douro e que encerrou em 2009, por decisão do governo de socialista de José Sócrates. Na opinião da ex-ministra do ensino superior, esta decisão “demonstrou uma falta de visão, de ambição e de estratégia para os territórios do interior”.

E por falar em estratégia, Graça Carvalho indicou que uma possível estratégia para o desenvolvimento do interior deve apostar em três áreas: a qualificação e ensino superior, a digitalização e os setores culturais e criativos.

Sobre a digitalização, a deputada europeia, disse que a aplicação 5G é uma tecnologia fundamental para ligar os territórios do interior de um modo mais rápido. E assegurou que essa tecnologia vai permitir, por exemplo, que as pessoas trabalhem desde Miranda do Douro, para empresas localizadas em grandes cidades como Lisboa, Porto, Londres, Berlim, etc.

Para que esta possibilidade chegue a a cada vez mais pessoas, Graça Carvalho disse que é fundamental apostar na formação e capacitar as pessoas para utilizar as ferramentas digitais. Referindo-se em concreto a Miranda do Douro, a ex-ministra sugeriu a criação de novas ideias empreendedoras que valorizem a cultura local, a agricultura, a indústria, a proximidade a Espanha, etc.

Graça Carvalho disse ainda que as localidades que mais se desenvolvem são as que investem no conhecimento e nas novas tecnologias.

A deputada social-democrata no Parlamento europeu, concluiu a sua intervenção mostrando-se disponível para colaborar no desenvolvimento do concelho de Miranda do Douro.

HA

Deixe um comentário