Autárquicas: «A indústria é estratégica para o concelho de Miranda do Douro» – Helena Barril

A candidatura social-democrata à Câmara Municipal de Miranda do Douro, voltou a promover uma webconferência, desta vez dedicada ao setor da “Indústria” no concelho de Miranda do Douro.

A conferência online realizou-se em Palaçoulo, no final da tarde de Domingo, dia 25 de julho, pelas 18h00, e contou com a participação dos ex-Ministros Miguel Cadilhe e António Pires de Lima, o eurodeputado José Manuel Fernandes e o professor Universitário e ex-secretário de Estado, Fernando Alexandre.

Esta nova iniciativa da candidatura liderada por Helena Barril teve como propósito refletir sobre o atual estado da indústria no concelho de Miranda do Douro e apresentar as medidas sociais-democratas para este setor, considerado “estratégico” no concelho.

A webconferência dedicada à indústria foi também a oportunidade para a apresentação pública de Georgina Macias, como candidata à presidência da Junta de Freguesia de Palaçoulo, a qual agradeceu o convite e congratulou-se com a realização da webconferência na aldeia.

De seguida, a candidata à presidência da Câmara Municipal de Miranda do Douro, Helena Barril, sublinhou a importância que a indústria tem nas aldeias de Palaçoulo, Águas Vivas e Sendim e enalteceu a resiliência dos seus empresários. A candidata social-democrata prosseguiu apresentando as medidas que quer implementar no concelho para apoiar as empresas, com destaque para a regulamentação de atividades económicas de interesse para o concelho que poderão beneficiar da recuperação dos valores dos impostos IMT e do IMI. Helena Barril indicou que pretende também criar um gabinete de apoio ao investidor/empreendedor; captar investimento para o concelho; aproveitar a nova realidade do teletrabalho e criar espaços coworking e fab-labs; apoiar a atividade artística e criativa; entre outras medidas.

Na sua intervenção, Óscar Afonso, candidato à presidência da Assembleia Municipal de Miranda do Douro, começou por referir que o concelho de Miranda do Douro está despovoado e envelhecido. E o despovoamento deve-se ao facto de as pessoas migrarem para “onde há economia”- indicou. O candidato social-democrata, referiu depois que o concelho de Miranda do Douro é um dos concelhos do país que produz mais riqueza, graças a produção de energia hidroelétrica das barragens. Para além disso, acrescentou no concelho de Miranda do Douro, existem indústrias agroalimentares, indústrias de cutelaria, tanoaria, construção civil e tipografia que criam riqueza e e postos de trabalho. Sobre as fraquezas do concelho, o economista indicou que a distância geográfica dos fornecedores de matérias-primas, dos mercados e consumidores e a falta de mão de obra são os crónicos obstáculos a uma maior desenvolvimento do concelho.

O professor universitário Fernando Alexandre, disse que o país precisa investir mais no interior para fixar população e promover a coesão territorial. O ex-Secretário de Estado indicou, por exemplo, a importância em aproveitar os recursos endógenos, como a produção de vinho. E explicou que a indústria gera atividades indiretas, como são os supermercados, a habitação/imobiliário, a restauração, a educação, etc. Para o conseguir, o orador convidado, aconselhou os candidatos à Câmara Municipa de Miranda do Douro, a estabelecer uma comunicação frequente com a Comissão de Coordenção de Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) com o objetivo de aceder a fundos comunitários para apoiar as indústrias locais e promover uma formação profissional adequada às necessidades do concelho.

O eurodeputado, José Manuel Fernandes, conhecedor das políticas europeias e comunitárias, começou por sublinhar a importância do empreendedorismo na coesão territorial, social e económica duma região. No âmbito dos fundos comunitários, o eurodeputado referiu que Portugal vai receber 23 milhões de euros por dia, até 2027. E aconselhou os candidatos sociais-democratas a estarem a tentos ao Fundo Europeu de Apoio ao Desenvolvimento Regional (FEADER), a definirem as áreas prioritárias e que projetos querem implementar em Miranda do Douro. Sobre o aproveitamento dos recursos endógenos, José Manuel Fernandes, explicou que há que acrescentar valor a esses produtos, ou seja, há que os transformar e inovar. Na sua perspetiva, se os candidatos sociais-democratas assim o fizerem, o concelho de Miranda do Douro tornar-se-á mais competitivo, convergente, empreendedor e coeso socialmente.

O ex-ministro da economia, Pires de Lima, referiu-se também à demografia do concelho de Miranda do Douro, no qual há poucos jovens, sublinhando que para atrair a juventude há que apostar em áreas como o teletrabalho, o digital e o emprendedorismo. Nas outras áreas de atividade, Pires de Lima, destacou as potencialidades da ruralidade, como são o turismo, a gastronomia, a caça, a proximidade a Espanha e os recursos endógenos, que precisam ser trabalhados ou transformados para reter o seu valor. O ex-ministro sugeriu ainda políticas que visem apoiar o regresso dos emigrantes.

Miguel Cadilhe, ex-ministro das Finanças, avaliou o memorando da candidatura social-democrata, como sendo “coerente e congruente”, ainda que aconselhasse a avaliar a viabilidade das medidas. No que diz respeito à indústria, Miguel Cadilhe indicou que este setor é um dos que traz mais desenvolvimento a uma região e animou os candidatos sociais-democratas a atrair novos investimentos com políticas e benefícios fiscais. Outra sugestão foi a aposta no teletrabalho e nas teleconferências. Nesta sua intervenção, o ex-governante, aproveitou a oportunidade para saúdar o Movimento Cultural da Terra de Miranda (MCTM) pela luta cívica que tem travado por justiça fiscal no negócio de venda das barragens do Douro Internacional.

HA

Deixe um comentário