Ambiente: Ameaças à fauna silvestre nas áreas protegidas

O projeto Sentinelas – Rede de Monitorização de Ameaças para a Fauna Silvestre, dinamizado pela Palombar, comunicou às autoridades competentes, que no primeiro semestre deste ano, detectaram cinco casos de ameaças para a fauna silvestre, no distrito de Bragança e também na província vizinha de Zamora, em Espanha.

Segundo a organização ambiental, os casos reportados envolveram suspeitas de envenenamento, colisão com linha elétrica e eventos de causa desconhecida e afetaram um total de oito animais de cinco espécies diferentes: abutre-preto (Aegypius monachus), milhafre-real (Milvus milvus), milhafre-preto (Milvus migrans), grifo (Gyps fulvus) e raposa (Vulpes vulpes).

As análises e investigações estão em curso para apurar as causas de morte dos animais.

A Palombar especifica que os casos reportados ocorreram nos Parques Naturais do Douro Internacional e de Montesinho e em áreas classificadas da Rede Natura 2000.

Todas as espécies de avifauna afetadas estão protegidas legalmente e duas delas encontram-se ameaçadas de extinção, como é o caso do abutre-preto e do milhafre-real.

O abutre-preto é também uma espécie prioritária de conservação a nível nacional.

Segundo a Palombar, o projeto Sentinelas tem revelado um grande potencial para detectar ameaças para a fauna silvestre e tem contribuído de forma significativa para promover uma maior proteção da biodiversidade em Portugal.

“Adicionalmente, tem gerado informação relevante para garantir uma melhor e mais eficaz gestão da fauna protegida no território nacional”, lê-se no comunicado.

O projeto Sentinelas (www.sentinelas.pt) é financiado pelo Fundo Ambiental e é desenvolvido em territórios da Rede Natura 2000 e da Rede Nacional de Áreas Protegidas, tendo como parceira a Universidade de Oviedo, em Espanha.

Os principais objetivos deste projeto são: monitorizar, através da marcação com dispositivos GPS, espécies sentinelas de aves e mamíferos que são mais afetadas por diversas formas de perseguição ilegal, bem como por outro tipo de ameaças de origem antrópica; avaliar a vulnerabilidade das espécies de fauna silvestre ao uso ilegal de venenos e analisar as perceções sociais e os níveis de tolerância de diferentes grupos de interesse relativamente às espécies de fauna silvestre.

A Palombar – Conservação da Natureza e do Património Rural é uma organização não governamental de ambiente sem fins lucrativos, criada em 2000, que tem como missão conservar a biodiversidade, os ecossistemas selvagens, florestais e agrícolas e preservar o património rural edificado, bem como as técnicas tradicionais de construção.

HA

Deixe um comentário