XXXIII DOMINGO DO TEMPO COMUM / DIA MUNDIAL DOS POBRES

Fazer o bem!

Mal 3, 19-20a / Slm 97 (98), 5-9 / 2 Tess 3, 7-12 / Lc 21, 5-19

Na I Leitura, Malaquias fala-nos do dia do Senhor, «ardente como uma fornalha», em que nascerá o sol de justiça sobre aqueles que foram fiéis ao Senhor, enquanto os injustos serão como palha. Será o nosso Deus um deus vingativo?

No coração de um Deus de amor não há espaço para a vingança. Ao mesmo tempo, não podemos acreditar num Deus que não traga até nós a justiça, que de forma misteriosa garanta que as ações têm consequências, que compactuar com o mal não é indiferente.

Um dia virá o Dia do Senhor, o final dos tempos. Então todos seremos julgados pela lei do Amor. A forma como vivemos será colocada diante de Deus e será pelo quanto e como amámos que seremos julgados. Este dia não nos deve amedrontar, mas devemos tê-lo diante dos nossos olhos, para que encontremos paciência e esperança nas nossas tribulações e refreemos os nossos gestos violentos.

O Senhor é Deus e cuida de cada um de nós, como hoje nos diz Jesus. Diante de sinais espantosos nos céus, diante de fomes, guerras e epidemias, diante da destruição do templo, diante até da perseguição, não nos entreguemos ao desespero. Confiemo-nos ao Espírito Santo, ele sim o nosso Defensor e Protetor, que nos dará «língua e sabedoria» diante dos nossos adversários.

O Salmo de hoje apela a esta mesma esperança. 

E a passagem da Segunda Carta aos Tessalonicenses deste domingo apela a que não nos deixemos distrair, mas sim que trabalhemos, continuamente, pelo Reino. Há que perseverar, insistir em fazer o bem, mesmo quando a realidade nos inspire receio e desperte medos antigos. Pois o Senhor é Deus e cuida!

De nada vale engalanar templos se os nossos corações são de pedra. De nada vale agarrarmo-nos ao prestígio se deixamos os nossos irmãos abandonados. Acolhamos o tempo presente, na sua luz e na sua adversidade. Confiemos ao Senhor o juízo e guardemos a promessa de Jesus como lenha para alimentar a paixão nos nossos corações: «nenhum cabelo da vossa cabeça se perderá».

Fonte: Rede Mundial de Oração do Papa

https://www.redemundialdeoracaodopapa.pt/meditacao-diaria/1883

Deixe um comentário