Cicloturismo: Ciclistas maravilharam-se com a beleza da Terra de Miranda

No passado Domingo, dia 25 de setembro, a cidade de Miranda do Douro foi o local de partida e de chegada da 1ª edição da “Clássica Douro Internacional”, uma prova de cicloturismo que atraiu centenas de ciclistas à região, para percorrer as belas paisagens da Terra de Miranda.

A ciclista Alexia Teixeira, vencedora de uma das categorias femininas, apreciou a particularidade da prova ter decorrido em Espanha e em Portugal.

“As paisagens são deslumbrantes e o percurso foi muito variado com subidas, descidas e troços mais planos. Agradeço à organização e ao município de Miranda do Douro pela excelente prova. Sem dúvida que vou regressar mais vezes a esta região” – Alexia Teixeira, ciclista.

Joaquim Fernandes, veio de Castelo de Paiva e foi vencedor na categoria de 60 anos. Sobre a “Clássica Douro Internacional”, o ciclista veterano afirmou que apreciou muito as paisagens do planalto mirandês.

Os espanhóis, Ruben Iglesias e Daniel Garcia, vieram de Leon, para participar na primeira edição da “Clássica Douro Internacional”. Tiveram conhecimento da prova de cicloturismo através da internet e decidiram participar dada a proximidade geográfica. Leon (Espanha) dista apenas 150 quilómetros de Miranda do Douro.

“Em Portugal, as provas de cicloturismo são habitualmente muito bem organizadas. Já havíamos participado no Bragança Gran Fondo. E a Clássica Douro Internacional também foi muito bem organizada: o piso das estradas estava em ótimas condições e tivemos sempre o acompanhamento da brigada de trânsito. Estamos muito satisfeitos e no próximo ano vamos certamente voltar”, adiantaram.

O mogadourense, Filipe Pires, falou em nome da “Monóptero Bikers”, uma equipa de BTT e de Ciclismo de Estrada, de Mogadouro, que também participou na primeira edição da prova de “Clássica Douro Internacional”.

“Nesta prova, a parte mais bonita foram os seis quilómetros da subida para Bemposta, com a passagem no Cardal do Douro” – Filipe Pires, ciclista.

Inspirado pela participação na prova, o ciclista mogadourense apelou aos municípios para que continuem a apostar nestes eventos desportivos e turísticos, dadas as excelentes condições para a prática da modalidade na região.

De Miranda do Douro, o ciclista, Emanuel Soares, mostrou-se radiante com a realização desta prova de cicloturismo no planalto mirandês.

“A Clássica Douro Internacional é um evento ótimo para promover a região, no país e no mundo! E os cicloturistas apreciaram muito esta competição, porque o piso das estradas está em boas condições e isso motiva-os a voltarem, até para treinarem aos fins-de-semana”, informou.

Por sua vez, a esposa, Margarida Soares, venceu a prova curta de 95 quilómetros, na categoria de master B. A ciclista também sublinhou que o planalto mirandês tem excelentes condições para organizar esta prova de cicloturismo e torná-la mesmo numa referência no panorama nacional e internacional.

“Estou muito feliz com esta vitória, dado que a prova partiu de Miranda do Douro e passou por Bemposta, a minha terra de origem. Foi uma vitória custosa, porque tivemos que pedalar contra o vento desde Tó (Mogadouro) até Miranda do Douro” – Margarida Soares, ciclista.

Ao ver a cidade cheia de ciclistas e visitantes, o presidente da freguesia de Miranda do Douro, Francisco Parreira, felicitou a empresa Cabreira Solutions, pela “excelente organização da prova”.

“Com este evento desportivo o nosso maior objetivo é atrair a vinda de pessoas para conhecer a cidade e a região. Dado o sucesso desta primeira edição da prova, já estamos a avaliar o que correu bem e menos bem, para que no próximo ano, a competição possa crescer”, avançou.

Sobre as condições ímpares da região para a prática do ciclismo, o autarca de Miranda do Douro, referiu que seria importante começar a dar mais atenção a esta modalidade nas escolas e nos clubes da região.

A seu lado estava a presidente do município, Helena Barril, que se mostrou entusiasmada com a partida e a chegada a Miranda do Douro, da “Clássica Douro Internacional”.

“Desde o início, acolhemos com muito entusiasmo esta prova de cicloturismo, em Miranda do Douro. Aproveito a oportunidade para felicitar a empresa ‘Cabreira Solutions´ pelo profissionalismo na organização desta prova desportiva, que simultaneamente promoveu o concelho e a região”, disse.

Na manhã de Domingo e enquanto os ciclistas percorriam de bicicleta o planalto mirandês, as suas famílias tiveram a oportunidade de conhecer a cidade de Miranda do Douro. Para tal, a organização da prova, em parceria com o Clube Desportivo de Miranda do Douro (CDMD), promoveu uma caminhada pelos principais locais de interesse da cidade, como o parque do rio Fresno, a fonte dos namorados ou o célebre “2” inscrito na fraga do rio Douro.

Marta Ferreira, que veio acompanhar o namorado, um ciclista, disse que a cidade de Miranda do Douro é uma das localidades mais bonitas que já visitou. E no futuro próximo, disse pretender voltar para passar um fim-de-semana.

Por sua vez, Pedro Magalhães, veio de Gaia, para acompanhar o filho, que participou na prova longa de cicloturismo. O visitante disse que já conhecia a região, onde aprecia sobretudo as paisagens das arribas do Douro.

“Esta região tem condições ímpares para a prática do ciclismo, dada a variedade do relevo, com subidas, descidas e o planalto”, disse.

Do lado da população local, Zélia Martins, disse que a prova de cicloturismo foi mais um evento que trouxe maior dinamismo à cidade e à região, pela vinda de um grande número de visitantes.

“Quem nos visita aprecia muito as paisagens desta região. Assim como a nossa gastronomia, com destaque para a posta à mirandesa, o bacalhau e a bola doce”, indicou.

Após a chegada dos ciclistas a Miranda do Douro, iniciou-se a cerimónia de entrega dos prémios. Os grandes vencedores foram os ciclistas da prova longa de 136 quilómetros, a portuguesa Liliana Silva (na categoria feminina) e o espanhol David Mayor (em masculinos).

No final, o organizador da prova, João Cabreira, mostrou-se satisfeito pelo modo como decorreu a competição.

“Foi a primeira vez que organizámos esta prova de cicloturismo em Miranda do Douro e acho que foi um sucesso. No próximo ano, em colaboração com o município e as forças de segurança, poderemos melhorar em pequenos detalhes, como o trânsito”, disse.

João Cabreira avançou ainda que na edição do próximo ano, a organização pretende aumentar o número de ciclistas participantes na prova, de modo a inscrever a ´Clássica Douro Internacional”, no calendário nacional e na história das clássicas e dos grand fondos.

“A notoriedade de uma prova de cicloturismo como a ´´Clássica Douro Internacional´ alcança-se com tempo e com o investimento da organização, dos patrocinadores e do município. No próximo ano, esperamos que as empresas locais também se envolvam e apoiem a organização da prova, já que o nosso objetivo é dinamizar o turismo, a hotelaria, a restauração e o comércio locais” – João Cabreira, organizador da prova.

Em representação do Turismo do Porto e Norte de Portugal, esteve o vice-presidente, Inácio Ribeiro, que acompanhou de perto a “Clássica Douro Internacional”.

O governante disse que o investimento em provas de cicloturismo é uma boa aposta, dado que o setor turístico está cada vez mais segmentado.

“Atualmente, o turismo de massas está a dar lugar a outros tipos de turismo mais especializados, como são o turismo de natureza, o turismo religioso, o turismo de património, o turismo literário, o turismo de praia, etc. E este tipo de turismo desportivo, que concilia a prática desportiva com a natureza é excelente, pois atrai centenas e até milhares de pessoas”, justificou.

Segundo o vice-presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal, estas provas têm ainda a mais-valia de atrair atletas de vários países, como aconteceu nesta primeira edição da ´Clássica Douro Internacional´, na qual participaram portugueses, espanhóis e ingleses.

“O cicloturismo é uma das melhores iniciativas para promover este belo território da Terra de Miranda” – Inácio Ribeiro, Turismo do Porto e Norte de Portugal.

HA

Deixe um comentário