Palaçoulo: Sesimbra, São Torcato e Aliste trouxeram cor e alegria ao Festival de Folclore Caramonico

Na tarde de Domingo, dia 11 de setembro, o largo da praça, em Palaçoulo, foi o palco do XIX Festival de Folclore Caramonico, um evento que este ano contou com a participação os Pauliteiros locais e das visitas dos grupos folclóricos de Sesimbra, de São Torcato (Guimarães) e do grupo espanhol Aulas de Música de Aliste e Trás-os-Montes.

O grupo folclórico de São Torcato (Guimarães) presentou o público com uma dança.

Inserido na Festa em Honra de Santa Bárbara, o festival de folclore iniciou-se com a atuação dos anfitriões, o grupo de Pauliteiros Mirandeses de Palaçoulo, que presentaram o público com vários lhaços ou danças.

Entre o público, estava a presidente do município de Miranda do Douro, Helena Barril. A autarca sublinhou que nestes festivais, a participação de grupos folclóricos de outras regiões vem enriquecer e alargar os horizontes dos grupos locais.

“Com estas permutas culturais entre os grupos folclóricos estamos, simultaneamente, a divulgar a nossa cultura e a conhecer a realidade cultural de outras regiões. Para que tal aconteça, o município tem apoiado sem reservas a associação Caramonico” – Helena Barril.

Gualdino Raimundo, presidente da freguesia de Palaçoulo, mostrou-se radiante com o regresso do XIX Festival de Folclore Caramonico.

“Estou muito orgulhoso por sermos uma aldeia que consegue conciliar a industrialização, com a tradição e a preservação dos usos e costumes. Durante a semana, as pessoas vão trabalhar para as fábricas e simultaneamente, conseguimos manter o gosto pela cultura local e a etnografia”, realçou.

Nestes festivais de folclore estabelecem-se permutas entre os vários grupos etnográficos e laços de amizade e união entre as pessoas de diferentes origens.

Para André Antunes, do Grupo Folclórico e Humanitário do Concelho de Sesimbra, foi uma honra viajar 500 quilómetros de Sesimbra até Palaçoulo, para dar a conhecer a cultura popular da vila piscatória, localizada no distrito de Setúbal.

“Para nós é uma alegria poder divulgar as tradições, os usos e costumes e a história da nossa terra. O concelho de Sesimbra é muito belo, com as suas aldeias tradicionais, a vila piscatória e o parque natural da Arrábida. Compete-nos recolher, preservar e divulgar esta riqueza natural e cultural”, disse.

Sobre a relação com os Pauliteiros Mirandeses de Palaçoulo, o sesimbrense afirmou que já se conhecem desde 2013, ano em que vieram atuar pela primeira vez na Terra de Miranda.

HA

Deixe um comentário