Picote: Foi apresentado o livro «Rostos de uma Barragem, o álbum de Telmo Ferraz»

No sábado, dia 30 de julho, o Barrocal do Douro (Picote) foi o local escolhido para a apresentação do livro de fotografias «Rostos de uma Barragem, o álbum de Telmo Ferraz», que consiste numa compilação de fotografias e textos que retratam a vida dos operários na construção da barragem de Picote, na década de 1950.

A obra foi coordenada por Henrique Manuel Pereira, professor da Escola das Artes (Universidade Católica Portuguesa) e reproduz um álbum de cerca de 200 fotografias, a preto e branco, na sua esmagadora maioria da autoria do Padre Telmo Ferraz e por ele legendadas.

Na apresentação da obra esteve o adminsitrador diocesano, Monsenhor Adelino Paes, o organizador da obra, professor Henrique Manuel Pereira e contou com a presença do padre Telmo Ferraz.

Na apresentação participaram também a presidente do município de Miranda do Douro, Helena Barril; o presidente da freguesia de Picote, Jorge Lourenço; e da associação FRAUGA, António Bárbolo.

Em representação da Movhera, empresa concessionária das barragens de Picote e Miranda, o engenheiro Pedro Ribeiro; e da Engie, o engenheiro Luís Massa.

Numa vídeo mensagem, o Arcebispo de Braga, D. José Cordeiro, felicitou o padre Telmo Ferraz e o professor Henrique Pereira pela obra agora publicada.

“Tantas dores e angústias e ao mesmo tempo tantas esperanças são retratadas neste livro. Muito obrigado padre Telmo pelo dom que é para os outros” – D. José Cordeiro.

A presidente do município de Miranda do Douro, Helena Barril, disse ser a primeira vez que esteve na presença do padre Telmo Ferraz, um homem conhecido pela sua enorme dedicação aos outros.

“Muito obrigado pela missão e pelo bem que realizou neste território” – Helena Barril.

Por sua vez, o administrador da diocese de Bragança-Miranda, Adelino Paes, começou por saudar todos os “barragistas”, que têm uma ligação afetiva a Picote.

“As barragens produzem energia elétrica, que por sua vez produz a luz e a energia tão importante nos nossos dias. E o padre Telmo também é uma luz que ilumina as nossas vidas. O livro é um precioso registo daquilo que o padre Telmo viveu”, Monsenhor Adelino Paes.

O presidente da freguesia de Picote, Jorge Lourenço, neto e sobrinho de operários que trabalharam na construção da barragem, disse que sempre ouviu falar da ação do padre Telmo junto da população.

Na sua intervenção, o autarca agradeceu o contributo da empresa Movhera para a publicação da obra “Rostos de uma Barragem, o álbum de Telmo Ferraz”.

Em representação da empresa, o engenheiro Pedro Ribeiro, afirmou que a Movhera não teve qualquer dúvida em apoiar a publicação do livro, dado que aí se retrata sobretudo a vida das pessoas.

No mesmo sentido, Luís Massa, engenheiro da Engie e familiar de “barragistas”, afirmou que “muito mais importante do que as barragens, as turbinas e os mecanismos foi a ação do padre Telmo Ferraz junto da população que aqui vivia e trabalhava”.

O padre Telmo Ferraz, hoje com 96 anos e com perfeita lucidez agradeceu as palavras elogiosas. De seguida, o sacerdote lembrou o papel revolucionário que a empresa que construiu a barragem, a Hidroelétrica do Douro, assumiu naquele tempo ao construir habitações para os operários.

“Os operários eram pessoas extraordinárias!” – Padre Telmo Ferraz.

Atualmente, o padre Telmo Ferraz vive na casa do Calvário, em Paços de Ferreira, onde vivem pessoas doentes.

O professor Henrique Manuel Pereira concluiu a apresentação do livro “Rostos de uma Barragem, o álbum de Telmo Ferraz”, indicando que esta obra fez-se com o contributo de muitas pessoas.

«Agradeço, por exemplo, ao António Bárbolo que traduziu excertos do livro “O Lodo e as Estrelas”.», disse.

O professor agradeceu também aos patrocinadores que acreditaram no projeto.

“Como é que este livro se fez? Um dia, o padre Telmo mostrou-me um livro acantonado de fotografias e disse-me: “São estes os rostos do livro o ‘Lodo e as Estrelas’. E depois foi só fazer o livro”, contou.

Para o coordenador da obra, o milagre fê-lo o padre Telmo Ferraz, “aos registar os rostos e ao acompanhar a vida daqueles operários e das suas famílias” – Professor Henrique Manuel Pereira.

Segundo o professor Henrique Pereira, a obra «Rostos de uma Barragem» é um importante documento social e histórico. Para o docente, o padre Temo Ferraz , através da sua máquina fotográfica, retrata as “pessoas de carne e osso” que contribuíram para a edificação desta importante obra de engenharia e arquitetura.

O livro «Rostos de uma Barragem, o álbum de Telmo Ferraz» retrata a realidade da barragem de Picote, a primeira a ser construída no Douro Internacional, iniciada em 1954 e inaugurada em 1958.

Esta barragem é considerada um marco da engenharia e arquitetura portuguesa da época e um contributo para a industrialização do país.

A edição desta obra com a chancela da «Alforria» conta com o apoio da Movhera, empresa concessionária do aproveitamento hidroeléctrico de Picote, do Município de Miranda do Douro e também com outras instituições locais como a Associação Família Kolping de Picote e a Junta de Freguesia de Picote.

O Padre Telmo Ferraz na apresentação do livro “Rostos de uma Barragem”, no Barrocal do Douro.

HA

Deixe um comentário