Miranda do Douro: Festa de Santa Luzia enalteceu o trabalho dos bombeiros

Celebrou-se no Domingo, dia 31 de julho, a festa em honra da Santa Luzia, padroeira dos Bombeiros Voluntários de Miranda do Douro, uma corporação que este ano celebrou o 62º aniversário.

A festividade iniciou-se com o hastear da bandeira no quartel dos bombeiros e o peditório pelas ruas da cidade de Miranda do Douro, acompanhados pela banda da Associação Filarmónica Mirandesa.

ÀS 10h30, celebrou-se a Missa solene na capela de Santa Luzia. Inspirado pela liturgia dominical, o pároco de Miranda do Douro, padre Manuel Marques, disse à assembleia presente no jardim envolvente à capela, que há uma tendência da humanidade para preocupar-se excessivamente com a acumulação de bens materiais.

“Os bens materiais são um bem sim, mas quando são o nosso absoluto ou prioridade tornam-se uma idolatria, isto é, ocupam o lugar de Deus. Veja-se as zangas recorrentes em famílias por causa da partilha dos bens materiais”, alertou.

Para evitar este perigo, o sacerdote exortou os mirandeses a afeiçoarem-se aos bens do alto, aos valores espirituais, como são a retidão, a integridade, justiça, a pureza e a liberdade interior.

“O apego excessivo aos bens materiais tira-nos a liberdade, escraviza-nos na lógica do ter sempre mais”, acrescentou.

A celebração conclui-se com a procissão da imagem de Santa Luzia à volta da capela e a benção de duas viaturas dos bombeiros de Miranda do Douro.

A festa em honra de Santa Luzia prosseguiu depois, com uma cerimónia no quartel dos bombeiros, para atribuição de insígnias aos soldados da paz.

No seu discurso, o presidente da direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Miranda do Douro, Ulisses Firmino, evocou o 62º aniversário da corporação, lembrou os bombeiros já falecidos e encorajou os 10 novos estagiários.

Por sua vez, a presidente da Câmara Municipal de Miranda do Douro, Helena Barril, começou por mencionar a ligação afetiva que tem à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários, dado que o pai, Abílio Barril, foi comandante desta corporação.

“Foi graças ao meu pai, Abílio Barril, que aprendi a amar esta corporação.”, disse.

Sobre a colaboração entre o município e os bombeiros, Helena Barril, referiu que a autarquia continua a apoiar o transporte de doentes oncológicos e recentemente apoiaram a criação de duas novas Equipas de Intervenção Permanente (EIP’s) no concelho de Miranda do Douro.

No final da cerimónia realizou-se o habitual desfile das viaturas dos bombeiros pelas ruas da cidade de Miranda do Douro.

A festa em honra da padroeira, Santa Luzia, encerrou com um lanche convívio, nas renovadas instalações do quartel da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Miranda do Douro.

A Associação Filarmónica Mirandesa animou a festa em honra de Santa Luzia.

HA

Deixe um comentário