Douro Superior: Intercâmbio desportivo e cultural vai juntar um milhar de alunos

Os municípios do Douro Superior promovem até setembro o primeiro intercâmbio desportivo e cultural de estudantes, que vai juntar cerca de um milhar de alunos entre os 6 e os 12 anos provenientes dos oito concelhos deste território.

A iniciativa, denominada Intercâmbio de Férias Desportivas e Culturais dos Estudantes do Douro Superior, pretende que os alunos mais jovens conheçam a realidade deste território que abrange os concelhos de Miranda do Douro, Mogadouro, Freixo de Espada à Cinta, Torre de Moncorvo e Carrazeda de Ansiães, no distrito de Bragança, e Foz Côa, Meda e Figueira de Castelo Rodrigo, na Guarda.

Em declarações, o secretário-geral da Associação de Municípios do Douro Superior (AMDS), Nuno Trigo, explicou que todas as ações que envolvem um milhar de alunos vão ser desenvolvidas em diversos espaços municipais, abrangendo as áreas do ambiente, cultura, desporto e expressão artísticas, entre outros valências.

“Esta ideia passa por criar oportunidades para que as crianças e jovens possam experimentar um conjunto de modalidades socioculturais, sensibilizando-os para a continuidade da sua prática e transmissão de valores conscientes como uma força de vida saudável”, explicou Nuno Trigo.

De acordo com este responsável, a iniciativa procura, também, “promover a formação integral das crianças e jovens, bem como reforçar os laços de amizade e intercâmbio entre os alunos do Douro Superior, o conhecimento do meio e da realidade e fomentar o trabalho de equipa”.

As iniciativas vão decorrer nos oito municípios, ocupando espaços como as piscinas municipais, bibliotecas, salas de espetáculos, estádios de futebol, entre outros equipamentos.

“Esta será uma iniciativa que pretendemos prolongar no tempo, e todos os anos. A AMDS vai apostar neste tipo de intercâmbio intermunicipal de forma a criar laços de amizade e convívio entre as diversas gerações”, vincou Nuno Trigo.

O intercâmbio é encarado pela AMDS como um regresso à normalidade, após dois anos de privações devido às contingências provocadas pela pandemia de covid-19.

Fonte: Lusa

Deixe um comentário