Sendim: Grupo Desportivo faz pausa no futebol de 11 e aposta no futsal

Na sequência da assembleia geral extraordinária, realizada no serão do dia 14 de julho, a nova direção do Grupo Desportivo de Sendim, agora liderada por Manuel João Carção, confirmou a decisão de fazer uma pausa no futebol de 11 com o objetivo de criar melhores infraestruras e condições logísticas para a prática da modalidade.

Manuel João Ferreira Carção é o novo presidente do Grupo Desportivo de Sendim, para o triénio 2022/2025.

A assembleia geral extraordinária, realizou-se no salão nobre da junta de freguesia de Sendim e teve como único propósito a eleição dos novos orgãos sociais do clube, para o triénio 2022/2025.

Para o ato eleitoral foi apresentado uma única lista, constituída por 19 pessoas, que passam a integrar a mesa da assembleia, o conselho fiscal e a direção, que é agora liderada pelo atleta sendinês, Manuel João Ferreira Carção.

Uma das primeiras decisões da nova direção do Grupo Desportivo de Sendim foi a de não apresentar uma equipa de futebol de 11, para competir na próxima época, 2022/2023, do campeonato distrital de Bragança.

Segundo o recém-eleito presidente do Grupo Desportivo de Sendim, Manuel João Carção, a falta de infraestruturas, como uns balneários dignos, é a principal razão para o clube não competir na próxima época.

“Como jogador apercebi-me de que as condições existentes no estádio Valentim Guerra já não são admissíveis para entrar numa competição”, disse.

Para além da construção de novos balneários, Manuel João Carção referiu-se ainda à necessidade de apetrechar o estádio Valentim Guerra: de lavandaria, de uma sala de fisioterapia e massagem para recuperação dos atletas, de casas de banho para o público, de bancadas e de um serviço de bar.

“Como é que podemos atrair jogadores se não temos condições dignas de trabalho para oferecer-lhes?” – questionou.

A outra razão para a não participação do Grupo Desportivo de Sendim no campeonato distrital e na Taça de Portugal é a crescente profissionalização da competição.

“Atualmente, os custos no futebol são cada vez maiores. E os apoios financeiros que recebemos não acompanham a evolução desses custos. Na minha opinião, quer o G.D. Sendim quer o G.D. Mirandês sempre fizeram muito e com poucos recursos”, indicou.

A esta dificuldade, acresce ainda o problema do despovoamento e da consequente falta de jogadores na região, o que dificulta a constituição de uma equipa competitiva.

Neste cenário, os dirigentes sendineses reconheceram que a não participação do Sendim nas competições de futebol de 11 vai gerar desagrado nos associados e adeptos, dado que o público sendinês gosta de acompanhar os jogos da equipa no estádio Valentim Guerra, em Sendim.

Ainda assim, Manuel João Carção adiantou que a intenção da direção não é acabar com o futebol de 11, mas sim fazer um interregno para construir melhores condições para a prática da modalidade, em Sendim.

Na sua intervenção no decorrer nda assembleia geral extraordinária, o presidente da mesa da Assembleia do Grupo Desportivo de Sendim, Telmo Ramos, lembrou a nova direção que ser dirigente é uma tarefa trabalhosa que exige a colaboração de todos.

Por sua vez, o novo presidente da diração, Manuel João Carção, justificou a decisão da sua candidatura com o imperativo de não deixar morrer o clube.

“Houve duas assembleias do Grupo Desportivo de Sendim e não tendo havido apresentação de listas aos órgãos sociais. nem de ideias, decidi avançar. Vou, por isso, tentar conciliar o trabalho de dirigente, com o de jogador”, disse.

Um dos propósitos da nova direção Grupo Desportivo de Sendim é formar uma equipa de futsal, para competir no campeonato distrital da modalidade.

“Estamos a planear fazer uma equipa de 10 a 12 jogadores, sendo que a maioria são jovens naturais de Sendim”, avançou.

Sobre a impossibilidade de realizar os jogos de futsal em Sendim, dada a inexistência de um pavilhão, o novo presidente do clube, indicou que forçosamente terão de ir treinar e jogar no pavilhão multiusos de Miranda do Douro.

Questionado sobre se o público de Sendim se vai deslocar a Miranda do Douro, para acompanhar os jogos de futsal, Manuel João Carção, disse acreditar que isso vai acontecer, ainda que em menor número, do que aconteceria se os jogos se realizassem em Sendim.

“Vamos contar certamente com o apoio da claque sendinsesa, composta por muitos jovens. E vamos tentar atrair a massa associativa com o nosso desempenho nos jogos”, disse.

Para além do futsal, o novo presidente do Grupo Desportivo de Sendim referiu-se à possibilidade de apoiar a prática de outras modalidades, como o ciclismo, o basquetebol, o voleibol e o futsal feminino.

“Em Sendim, não falta vontade. O maior obstáculo é mesmo a inexistência de infraestruturas próprias e adequadas para a prática desportiva”, apontou.

Perfil

Perfil

A formação. Manuel João Ferreira Carção tem 29 anos. Concluiu um mestrado em Educação Física, ensino básico e secundário, na Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (FADEUP). Atualmente, é técnico de desporto e professor de educação física no município de Miranda do Douro.

O amor ao clube da terra. No Grupo Desportivo de Sendim, frequentou a formação em futebol, como iniciado e desde 2017 é jogador da equipa sénior. Apesar do interregno do clube na próxima temporada, Manuel João, tem a intenção de continuar a jogar futebol 11.

O desafio de ser dirigente. A 14 de julho de 2022, assumiu a presidência do G.D. Sendim com o objetivo de manter o clube ativo. Com os restantes elementos da direção, decidiram fazer um interregno na equipa e competições de futebol de 11, de modo a criaram melhores condições, em infraestruturas e logística, para a prática da modalidade. Em alternativa, na época 2022/2023, decidiram avançar para a constituição de uma equipa de futsal.

HA

Deixe um comentário