Miranda do Douro: Adelaide Monteiro apresentou o novo livro “Cumo quien pica um palo”

Ao final da tarde do dia 5 de julho, a Casa da Cultura Mirandesa foi o local da apresentação do novo livro “Cumo quien pica um palo”, escrito em mirandês por Adelaide Monteiro e que contou com a presença da presidente do município de Miranda do Douro, Helena Barril.

De acordo com a autarca, o município fez questão de apresentar esta nova obra literária da autoria de Adelaide Monteiro, no âmbito das comemorações do Dia da Cidade, que estão a decorrer de 2 a 17 de julho.

Sobre o livro “Cumo quien pica um palo”, Alcides Meirinhos, da Associação da Língua e Cultura Mirandesa (ALCM) disse que esta nova obra é mais um contributo de Adelaide Monteiro para a preservação da língua mirandesa.

“Adelaide Monteiro é uma das maiores poetisas da Terra de Miranda”, disse.

Natural da Especiosa, Adelaide Monteiro, é autora de vários livros, tais como “Antre Monas i Sbolácios” que foi o seu primeiro livro de poesia.

O livro agora apresentado é uma compilação de um conjunto de textos que a autora foi escrevendo ao longo de 10 anos.

“Com a pandemia e a obrigatoriedade de estar em casa tive a oportunidade de compilar esses textos, trabalho do qual resultou este novo livro ‘Cumo quien pica um palo’”, disse.

Nesta obra, a autora publica textos “íntimos” sobre os sentimentos, o amor, a família e a pobreza que se vivia, outrora, na Terra de Miranda.

Questionada sobre se é fácil escrever em mirandês, a escritora respondeu que para quem sabe falar, o exercício da escrita e da leitura é um modo de aperfeiçoar a língua.

“Quando comeceu a escrever em mirandês parecia que me faltavam as palavras. Com a prática e graças à ajuda e colaboração de outras pessoas como o Amadeu Ferreira, fui enriquecendo o vocabulário em mirandês”, contou.

O livro “Cumo quien pica um palo” pode ser adquirido na livraria Andrade, em Miranda do Douro e através da editora Ancora.

A 18 de agosto, a autora adiantou que vai publicar um novo livro de poesia com o título: “Num rio de lírios”.

HA

Deixe um comentário