XIV DOMINGO DO TEMPO COMUM 

Caminho

Is 66, 10-14c / Slm 65 (66), 1-3a.4-7a.16.20 / Gal 6, 14-18 / Lc 10, 1-12.17-20 ou Lc 10, 1-9

Nos dias de hoje, ser discípulo é um conceito estranho. Atualmente já não há aprendizes ou iniciados. Há estudantes e profissionais, aqueles que ainda estudam e aqueles que podem fazer. Mas a fé não é somente uma questão de estudo ou de ações. A fé é um caminho partilhado, guiados pela mão do único Mestre: Jesus Cristo.

E, neste caminho partilhado, ser discípulo é ser enviado por Jesus. E aquele que é enviado, mais do que percorrer a distância entre o ponto de partida e um destino almejado, é alguém que é chamado a trilhar caminhos ao estilo de Jesus. O essencial não é um «atuar» para o qual tivemos formação, mas um modo de ser e estar no mundo que se vai apurando através do caminho feito.

No Evangelho de hoje, Lucas apresenta-nos de que forma devemos fazer caminho e o que fazer em cada lugar habitado por onde passamos. Quanto ao caminho, a mensagem é clara: «não leveis nem bolsa nem alforge nem sandálias, nem vos demoreis a saudar alguém» – em suma, confiem em Deus, que cuida de cada um de vocês. Não vivam obcecados com o que vão comer, com o dinheiro, com as condições ideais para viver, nem se deixem distrair no caminho do bem. Há que ir, com urgência, anunciar o Evangelho onde Deus nos envia.

E quanto ao que fazer em cada lugar, Lucas transmite-nos que Jesus nos pede que sejamos bênção, que desejemos a paz. E que se essa paz não é acolhida, que não deixemos que essa experiência seja peso para o resto da viagem: há que repetir que o Reino está próximo e não deixar que o pó do desânimo se pegue aos nossos pés.

Esta vida ao estilo de Jesus vai provocar alguma agrura de coração. Viver ao estilo de Jesus, como nos recorda Paulo na Leitura II, implica caminhar com as marcas da paixão, pois que discípulo pode escapar ao destino do seu Mestre? Mas estas marcas da paixão são porta de entrada para a Jerusalém de alegria de que nos fala Isaías na Leitura I, a alegria à qual estamos destinados.

Sejamos sinais da alegria e levemos a paz, vivendo ao estilo de Jesus. Que os nossos corações não vivam inquietos com os muitos afazeres do mundo. Que os nossos corações, como o de Jesus, estejam orientados para acudir ao que o bom Deus nos pede.

Fonte: Rede Mundial de Oração do Papa

https://www.redemundialdeoracaodopapa.pt/meditacao-diaria/1749

Deixe um comentário