Corpo de Deus: Regressam as procissões e os tapetes de flores pelas ruas de Portugal

As dioceses católicas de Portugal vão celebrar esta quinta-feira a solenidade litúrgica do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, conhecida como Corpo de Deus, com o regresso de procissões e tapetes de flores às ruas do país.

Após dois anos de limitações, impostas pela pandemia, milhares de pessoas são esperadas nas várias celebrações e manifestações de devoção popular, num dia que é feriado nacional.

Em Miranda do Douro, a celebração da Eucaristia alusiva à solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, está agendada para as 17h00.

A solenidade litúrgica do Corpo e Sangue de Cristo começou a ser celebrada há mais de sete séculos e meio, em 1246, na cidade de Liège, atual Bélgica, tendo sido alargada à Igreja latina pelo Papa Urbano IV através da bula “Transiturus”, em 1264, dotando-a de Missa e Ofício próprios.

Esta solenidade terá chegado a Portugal provavelmente nos finais do século XIII e tomou a denominação de festa de Corpo de Deus; a exultação popular à Eucaristia é manifestada no 60.º dia após a Páscoa, uma quinta-feira, fazendo assim a ligação com a Última Ceia de Quinta-feira Santa.

O Papa Francisco referiu, na audiência geral desta quarta-feira, que a solenidade recorda “a presença real de Deus na Eucaristia, sob a forma do pão e do vinho”.

“Peçamos ao Senhor que nos conceda sermos pessoas eucarísticas, que agradecem pelos dons recebidos e se entregam aos outros, servindo com alegria, especialmente quem mais precisa”, acrescentou.

A procissão com o Santíssimo Sacramento é recomendada pelo Código de Direito Canónico, no qual se refere que “onde, a juízo do bispo diocesano, for possível, para testemunhar publicamente a veneração para com a santíssima Eucaristia faça-se uma procissão pelas vias públicas, sobretudo na solenidade do Corpo e Sangue de Cristo” (cân 944, §1).

Várias localidades portuguesas decoram as ruas da procissão com tapetes floridos.

Fonte: Ecclesia

Deixe um comentário