Igreja: Falecimento do Diácono Baltasar Pires, SDB

Faleceu aos 81 anos de idade, o Diácono Baltasar Pires, natural de Genísio, em Miranda do Douro, era sobrinho do Cónego Baltasar Pires, informou a diocese de Bragança-Miranda.

Baltasar Pires, salesiano e missionário em Timor Leste, era sobrinho do Cónego Baltasar Pires.

Fez a instrução primária na sua terra natal, entrou no Seminário salesiano de Poiares da Régua, passando depois para o Seminário de Mogofores. Fez o Noviciado, em Manique do Estoril e professou no dia 16 de agosto de 1959.

Feitos os estudos Filosóficos em Manique, foi mandado para fazer o tirocínio em Macau, sendo assistente e professor no Colégio Dom Bosco (1963-1966). No dia 16 de agosto de 1965, fez a profissão perpétua na Congregação Salesiana. Concluiu os estudos de Teologia, em Sevilha (Espanha), e aí foi ordenado diácono, no dia 20 de junho de 1970. Quis ser diácono permanente.

Nesse mesmo ano, o Diácono Baltasar é enviado para Timor Português, como membro da comunidade salesiana de Baucau, sendo professor no Ciclo Preparatório, e encarregado dos acólitos e da Cruzada Eucarística. No ano de 1971 foi transferido para o Colégio de Fatumaca, onde permanece até o ano de 2007. Exercia o cargo de conselheiro e professor.

Em Fatumaca assistiu aos acontecimentos do golpe da UDT (União Democrática de Timor) e o contragolpe da Fretilin. Em dezembro de 1975 foi testemunha do avanço das tropas indonésias para Gariwai e Berecoli. No ano de 1978, em plena invasão das tropas indonésias a Timor-Leste, os superiores tomaram a decisão de mandar o Diácono Baltasar Pires, então conselheiro e professor na Escola Técnica de Fatumaca, para aprender a língua indonésia, na ilha de Java. Após o regresso a “Timor Timur”, continuou a exercer o cargo de conselheiro de estudos e professor no Colégio de Fatumaca.

Em outubro de 1989, aquando da visita do Papa João Paulo II a Timor, o Diácono Baltasar Pires foi convidado para servir o altar, e durante a celebração eucarística celebrada pelo Pontífice, tendo a dita de proclamar o Evangelho.
De 2007 a 2011 esteve em Díli. Em 2011 voltou para Fatumaca, onde permaneceu até 2020. Nos últimos anos permaneceu na casa do Pós-Noviciado, em Comoro, Díli.

O Diácono Baltasar Pires foi o missionário salesiano que trabalhou em Timor durante quatro períodos da história de Timor-Leste: o período da administração portuguesa (1970-1975); o tempo da ocupação indonésia (1976-1999); o período da administração transitória das Nações Unidas (1999-2002); e o período de Timor-Leste independente (2002-2021). (dos dados biográficos apresentados por D. Carlos Filipe Ximenes Belo).

Foi, durante toda a sua vida, um salesiano dedicado, um conselheiro amigo e um professor competente. Eis o testemunho dum salesiano timorense:

“Nestes dias, todos nós, salesianos timorenses, ficamos tristes pela partida do nosso querido irmão salesiano, Diácono Baltasar Pires (missionário Português). Sentimos a grande perda de uma referência da vida religiosa salesiana e missionária. Porém, ficamos felizes por nos deixar o seu grande legado, o seu testemunho de vida e os seus ensinamentos. Foi um homem que deixou a sua terra de origem (Genízio, Concelho de Mirando do Douro e Distrito de Bragança e Diocese de Bragança (Portugal), os seus familiares, os seus colegas e amigos em favor dos outros, como diz o Evangelho: “Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida pelos seus amigos.”

O Diácono Baltasar foi um homem comprometido, de silêncio, de serenidade, de escuta, da fé, do pátio, da disciplina na sua assistência aos jovens. Estava sempre disponível para ajudar os seus alunos, em Português e nas noutras disciplinas. Nunca disse que não podia nem queria quando uma pessoa batia à sua porta para pedir uma ajuda ou um conselho ou até para tirar dúvidas ou dificuldades.

Era muito querido pelos jovens, sobretudo pelos antigos alunos. De facto, a sua presença, o seu grande empenho deu resultado eficaz, como se tivesse semeado um grão, plantou-o e depois colheu o seu o fruto. Formou muitos jovens para se tornarem bons cristãos e honestos cidadãos. Acompanhou-os no seu crescimento integral, na sua caminhada da vida cristã e salesiana. Hoje em dia, muitos dos seus antigos alunos são salesianos, professores, empresários e governantes.

Todos nós estamos muito gratos pela sua entrega total a Deus, através do carisma salesiano, em prol da Educação e Evangelização dos jovens em Timor, segundo o Estilo de São João Bosco.

Depois de cinquenta e dois anos de vida missionária em Timor-Leste, o diácono Baltasar Pires, qual servo fiel e prudente do Evangelho, partiu deste mundo, no dia 4 de abril de 2022, e foi tomar parte na alegria do seu Senhor, junto de   Nossa Senhora Auxiliadora, de São João Bosco e de todos os Santos Salesianos. Até sempre!” (P. Casimiro Morais).

Na Comunhão crente e orante unimo-nos à família do Diácono Baltasar Pires, aos Salesianos de Dom Bosco, ao Instituto Diocesano do Clero, e a toda a Diocese de Bragança-Miranda.

Texto: Pe. Basileu Pires, MIC

Deixe um comentário