V DOMINGO DO TEMPO COMUM

Jesus entra na minha vida

Is 6, 1-2a.3-8 / Slm 137 (138), 1-5.7c-8 / 1 Cor 15, 1-11 / Lc 5, 1-11

O que fazer diante da invasão da graça? No Evangelho deste domingo há uma multidão que se junta para ouvir Jesus, vemos pescadores a lavar as redes – sinal de que o seu dia acabou –, e temos Jesus a entrar no barco de Pedro sem pedir licença, pedindo-lhe para se afastar um pouco de terra. Pedro está fora do barco, a lavar as redes, pelo que tem de se levantar, ir para o barco e remar.

Ao entrar no barco de Pedro, Jesus entra na vida de Pedro, pois o barco de Pedro é muito mais que um instrumento de trabalho ou fonte de sustento. Como pescador, o barco define o seu estilo de vida: as horas que trabalha, as pessoas com quem fala, as suas alegrias e os seus cansaços. Enquanto ele limpa as redes, preparando o amanhã da sua rotina, Jesus entra na sua vida e interrompe-a. É assim que a graça entra nas nossas vidas: sem avisar, pedindo-nos que deixemos o que estamos a fazer. A graça entra pedindo que assumamos a nossa vida inteira, tal qual é – o barco –, e que nos afastemos um pouco de terra firme, para que Jesus se faça ouvir.

Ao entrar no barco de Pedro, Jesus entra na vida de Pedro, pois o barco de Pedro é muito mais que um instrumento de trabalho ou fonte de sustento.

Quando deixa de falar à multidão, Jesus lança um desafio a Pedro, um desafio que soa insensato aos ouvidos de um pescador experimentado: «vai até águas profundas e lança as redes». Depois do fracasso da noite anterior, voltar a lançar as redes? E, para mais, durante o dia? Pedro, com as suas legítimas dúvidas, confia. E o resultado vai contra todas as expectativas: a pesca é tão abundante que tem de pedir a outros que se juntem e ajudem.

Diante do extraordinário, Pedro diz «Senhor», sinal de que reconhece que está diante de um enviado de Deus, talvez até o Messias esperado por Israel. E o sentimento de que é indigno, de que não merece esta visita, de que é pecador, invade-o. É o mesmo sentimento que encontramos em Isaías, na 1.ª Leitura, e em Paulo na 2.ª: a surpresa de, na sua vida, serem escolhidos pela graça. Isaías, Paulo e Pedro, todos escolhidos por Deus para o anunciar.

A graça invade-nos de maneira inesperada, entra sem pedir licença e lança o convite: «arriscas ir mais longe, mais fundo, com as tuas dúvidas, mas além delas? Arriscas?» Poderá parecer insensato. Jesus tem somente duas palavras para nós: «nada temas».

Fonte: Rede Mundial de Oração do Papa

https://www.redemundialdeoracaodopapa.pt/meditacao-diaria/1591

Deixe um comentário