BATISMO DO SENHOR (FESTA)

Estar no mundo

Is 40, 1-5.9-11 / Slm 103 (104), 1b-4.24-25.27-30 / Tito 2, 11-14; 3, 4-7 / Lc 3, 15-16.21-22

No Evangelho de hoje, encontramos Jesus entre uma multidão de pecadores para receber o batismo. Dêmos tempo à força desta imagem. Jesus, o Filho de Deus, o verdadeiro justo, em tudo igual a nós exceto no pecado, não tem nem receio nem vergonha de se colocar na fila com os pecadores, de ser tido como tal e ser batizado. Nós queremos ser tidos por puros e aquele que é sem pecado coloca-se entre os pecadores. Por vezes, evitamos até o convívio com aqueles que não vivem à altura dos nossos ideais de santidade, quando o único verdadeiramente Santo, Jesus, procura a companhia dos pecadores.

Nenhuma realidade muda com a nossa ausência. É essa dimensão do mistério da Encarnação do nosso Deus que é hoje colocada diante dos nossos olhos. A única forma de transformar verdadeiramente o mundo, de o levar a Deus, de deixar que a luz da graça brilhe e reine é habitá-lo, enquanto se aguarda a vinda do Espírito Santo sobre nós, uma e outra vez.

Neste domingo do Batismo do Senhor, renovemos os votos do nosso próprio Batismo e assumamos como vocação o chamamento de Deus a colaborar com a graça. Que dessa forma possamos, também nós, ver o céu abrir-se e ouvir Deus dizer-nos: Tu és o meu filho, a minha filha, muito amado(a).

Nós queremos ser tidos por puros e aquele que é sem pecado coloca-se entre os pecadores. Por vezes, evitamos até o convívio com aqueles que não vivem à altura dos nossos ideais de santidade, quando o único verdadeiramente Santo, Jesus, procura a companhia dos pecadores.

Fonte: Rede Mundial do Apostolado da Oração

https://www.redemundialdeoracaodopapa.pt/meditacao-diaria/1563

Deixe um comentário