XXX DOMINGO DO TEMPO COMUM – DIA MUNDIAL DAS MISSÕES

Que eu veja!

Jer 31, 7-9 / Slm 125 (126), 1-6 / Hebr 5, 1-6 / Mc 10, 46-52

A presente leitura do profeta Jeremias situa-se no chamado «Livro da consolação». São palavras que levantam o ânimo do povo de Israel, humilhado no exílio de Babilónia. Todos sabemos que as nossas palavras têm o maravilhoso poder de levantar quem caiu, de curar feridas e de ressuscitar a alegria e a esperança. O que digo em palavras e comunico com gestos faz parte do «livro da consolação»? Sou profeta da esperança e da alegria?

O autor da Carta aos Hebreus, bem instruído nas escrituras sagradas, faz notar aos cristãos de origem judaica que não devem ficar presos a saudades do esplendor litúrgico do templo de Jerusalém. É que o sacerdócio de Cristo é a plenitude da revelação de Deus, incomparavelmente superior ao sacerdócio do Antigo Testamento. Recorda que, segundo o estilo de Jesus, todo o sacerdote deve ser «compreensivo para com os ignorantes e os transviados, porque também ele está revestido de fraqueza».

Os três evangelistas sinóticos – Marcos, Mateus e Lucas – apresentam esta cena do cego de Jericó, Bartimeu, que pede esmola à beira do caminho, pois por ali passavam os peregrinos a caminho de Jerusalém. O seu desejo de ver era a esmola milionária da sua vida, que esperava poder receber do Messias. Assim gritava, repetidamente, sem se preocupar com o que era socialmente correto: «Jesus, Filho de David, tem piedade de mim». E Jesus recompensou a sua grande fé, concedendo-lhe o dom da vista. Que cura preciso receber de Jesus, para ser melhor pessoa, cristão, familiar, trabalhador, amigo?

E Jesus recompensou a sua grande fé, concedendo-lhe o dom da vista. Que cura preciso receber de Jesus, para ser melhor pessoa, cristão, familiar, trabalhador, amigo?

Na sua Mensagem para o Dia Mundial das Missões do presente ano, o Papa Francisco assim afirma: «No Dia Mundial das Missões, que se celebra anualmente no penúltimo domingo de outubro, recordamos com gratidão todas as pessoas cujo testemunho de vida nos ajuda a renovar o nosso compromisso batismal de ser apóstolos generosos e jubilosos do Evangelho». A cada um de nós compete ser testemunha, pelo exemplo e pela palavra, da mensagem, alegre e feliz, do Evangelho de Jesus.

(Meditação diária no site da Rede Mundial do Apostolado da Oração)

https://www.redemundialdeoracaodopapa.pt/meditacao-diaria/1483

Deixe um comentário