Política: Museu da Língua é o maior desafio do terceiro mandato

O presidente da Câmara de Bragança, Hernâni Dias, elegeu a conclusão do Museu da Língua Portuguesa, em Bragança, como “o maior desafio” do terceiro mandato que iniciou depois de “uma vitória histórica” nas eleições autárquicas.

O autarca reeleito obteve a sexta maioria absoluta para o PSD, no concelho de Bragança e fez o pleno, com o partido a vencer nas 39 freguesias e uniões de freguesias do concelho, que interpreta como “algo de positivo, uma vez que as pessoas entenderam que poderiam acreditar” nesta força política.

Os novos órgãos autárquicos tomaram posse a 8 de outubro, com o presidente reeleito a apontar como “o maior desafio” para este mandato, terminar o Museu da Língua Portuguesa, o maior projeto do município, com um custo de 10 milhões de euros financiados por fundos europeus.

Trata-se de um equipamento cultural único em Portugal, que tem um congénere apenas no Brasil e que o autarca social-democrata considera um “projeto estruturante, não só para Bragança, mas para a região.

“Estou certo que vai um marco na vida do nosso território, no país inclusivamente”, enfatizou.

Para os próximos quatro anos é também pretensão do autarca “saber utilizar bem” o próximo quadro comunitário de apoio e as verbas do Plano de Resiliência e Recuperação (PRR) para projetos como a ligação transfronteiriça de Bragança a Puebla de Sanábria, em Espanha.

Da União Europeia espera que surja financiamento para lacunas como a ausência de saneamento em algumas aldeias, tema da campanha eleitoral, um problema que garantiu deseja resolver, mas que tem que “ser realista e não pode assumir apenas com dinheiro do orçamento municipal”.

A estratégia para o novo mandato, segundo disse, assentará em várias áreas, desde a reabilitação urbana, agricultura, cultura, desportiva e social, esta última apontada como “fundamental”, uma vez que compete também aos municípios ajudar “os cidadãos a recuperar deste gravíssimo problema” da pandemia.

Hernâni Dias perspetiva o terceiro e último mandato “sempre numa lógica de maior crescimento ao nível do tecido empresarial, captando novos investimentos para Bragança, criando mais emprego, ajudando aqueles que mais necessitam na área social, fixando, ao mesmo tempo, jovens”.

“Este é um mandato desafiante também na perspetiva de trabalho para os próximos quatro anos e creio que vamos ter essa capacidade de concretização como tivemos até hoje”, afirmou.

O autarca antecipa também dificuldades para concretizar algumas obras “pelo facto de haver dificuldade inclusivamente na contratação do tecido empresarial”, o que constatou já no mandato anterior em concurso públicos que tiveram de ser repetidos por falta de interessados.

“Mas vamos seguramente saber ultrapassar as dificuldades e conseguirmos fazer aquilo que nos propusemos ao longo deste período eleitoral”, acrescentou.

Os resultados das eleições de 26 de setembro ditaram maioria absoluta para o PSD, com cinco eleitos no executivo municipal e o PS dois.

Fonte: Lusa

Deixe um comentário