XIII DOMINGO DO TEMPO COMUM

Caminhar com…

Sab 1, 13-15; 2, 23-24 / Slm 29 (30), 2.4.5-6.11.12a.13b / 2 Cor 8, 7.9.13-15 / Mc 5, 21-43

O livro da Sabedoria abre-nos uma janela de esperança sobre a vida para além da morte, que não tem a última palavra sobre nós. A morte é apresentada como uma invenção do demónio. Deus é o autor da vida e não se alegra com a perdição de alguém. Mas a verdadeira morte é o pecado que contradiz o amor. Deus, porque é amor infinito, é o Senhor da vida que não conhece ocaso.

O apóstolo Paulo faz uma exortação à generosidade dos cristãos de Corinto, pois havia outras comunidades cristãs que passavam por graves dificuldades. Como fonte de inspiração dá o exemplo de Cristo: «Conheceis a generosidade de Nosso Senhor Jesus Cristo: Ele, que era rico, fez-se pobre por vossa causa, para vos enriquecer pela sua pobreza». Para ser generoso não é preciso ser rico. É preciso sim ter um coração cheio de amor, assumindo como próprias as necessidades dos outros.

O Evangelho apresenta-nos dois milagres de Jesus em que a doença e a morte são vencidas. Todas as doenças têm a marca da morte, com a diminuição da vida. Mas a perda de sangue durante 12 anos era sinal do abismo da morte que se aproximava. E uma jovem de 12 anos que diz adeus à vida é um drama para qualquer família.

Cristo nunca se apresenta como um herói reinando acima do sofrimento humano. Deixa-se tocar por quem sofre, sintoniza com a nossa dor, chora perante as nossas desgraças, pois fazemos parte da sua vida, somos seus. Os milagres que o Evangelho nos apresenta não aparecem como um espetáculo do poder sobre-humano de Jesus, mas como uma resposta de Deus à fé dos que a Ele recorrem com confiança: «Minha filha, a tua fé te salvou», «Não temas; basta que tenhas fé». Não é verdade que nós, felizmente crentes, precisamos de crescer na fé em Deus, nosso máximo benfeitor?

“Cristo deixa-se tocar por quem sofre, sintoniza com a nossa dor, chora perante as nossas desgraças, pois fazemos parte da sua vida, somos seus.”

Meditação diária no site da Rede Mundial do Apostolado da Oração:

https://redemundialdeoracaodopapa.pt/meditacao-diaria/1356

Deixe um comentário